Problema de saúde tira Evaristo Costa da bancada do Jornal Hoje

O Ministério da Saúde atualizou os dados sobre a febre amarela no país em 2017. De 107 mortes suspeitas notificadas, 42 estão confirmadas. Os casos notificados são 555, com 87 confirmados. Eles ocorreram em Minas Gerais, Espírito Santo, Bahia, São Paulo, Goiás e Mato Grosso do Sul. Os seis casos suspeitos do Distrito Federal foram descartados. O ministério da saúde avalia que o mais importante, agora, é a vacinação. O vilão da febre amarela silvestre, o Haemagogus, vive nas matas e é o principal transmissor da doença. Além dele, outro mosquito, o Sabethes, também transmite no meio rural. O Haemagogus tem por hábito picar tanto os macacos quanto os humanos durante o dia. A fêmea costuma depositar os ovos em ocos de árvores que tenham acúmulo de água. Da mesma forma que o Aedes aegypti, é a fêmea que transmite a doença. Quer saber mais sobre este assunto? Acompanhe a matéria do jornalismo da Band.

de

O Ministério da Saúde atualizou os dados sobre a febre amarela no país em 2017. De 107 mortes suspeitas notificadas, 42 estão confirmadas. Os casos notificados são 555, com 87 confirmados. Eles ocorreram em Minas Gerais, Espírito Santo, Bahia, São Paulo, Goiás e Mato Grosso do Sul. Os seis casos suspeitos do Distrito Federal foram descartados. O ministério da saúde avalia que o mais importante, agora, é a vacinação. O vilão da febre amarela silvestre, o Haemagogus, vive nas matas e é o principal transmissor da doença. Além dele, outro mosquito, o Sabethes, também transmite no meio rural. O Haemagogus tem por hábito picar tanto os macacos quanto os humanos durante o dia. A fêmea costuma depositar os ovos em ocos de árvores que tenham acúmulo de água. Da mesma forma que o Aedes aegypti, é a fêmea que transmite a doença. Quer saber mais sobre este assunto? Acompanhe a matéria do jornalismo da Band.

Você vai curtir