Notícias

Regina Duarte diz que não aceitaria interpretar Dilma Rousseff

Publicidade
  • Montagem/Popzone
    Regina Duarte diz que não aceitaria interpretar Dilma Rousseff
    Montagem com a atriz Regina Duarte e a presidente afastada Dilma Rousseff

     

Crítica aos governos do PT, Regina Duarte afirmou que recusaria interpretar a presidente afastada Dilma Rousseff em um eventual trabalho na TV, no cinema ou no teatro. Em entrevista ao programa “Manhattan Connection”, do canal pago GloboNews, a atriz disse que não seria capaz de aceitar o papel.

Você vai curtir!

“Não, eu não me sinto capaz de interpretar um personagem tão complexo, tão misterioso assim”, respondeu Regina Duarte ao jornalista Lucas Mendes, um dos apresentadores do “Manhattan Connection” e correspondente da GloboNews nos Estados Unidos.

O jornalista Diogo Mainardi, que participou do programa de Veneza (ITA), complementou: “E tão detestado. A atriz mais amada do Brasil vai interpretar a figura política mais detestada hoje”.

Regina retrucou, mantendo o tom crítico à presidente afastada. “Não, não, ali eu precisava de um entendimento maior desse ser humano… vamos esquecer quem é”, disse, rindo.

Na última semana, Regina Duarte causou polêmica ao apoiar o fim do Ministério da Cultura, alvo de manifestações de artistas que fizeram o presidente interino Michel Temer recuar e recriar a pasta. “Sou a favor da ideia de manter a Cultura internada no ‘Hospital da Educação'”, escreveu no Instagram.

Publicidade

No programa, a atriz relembrou o apoio ao PSDB na campanha presidencial de 2002, em que dizia ter “medo” do PT. Lula venceu a eleição contra José Serra.

Publicidade

“Fui convidada para dar um depoimento e aceitei porque tive um impulso. Aliás, tenho tentado me controlar, mas sou impulsiva, sou uma atriz, vivo de emoções, e queria dizer o que estava achando naquele momento: ‘Eu estou com medo!’. A sensação que olho para trás hoje é que entrei em um elevador que já tinha descido e despenquei no vácuo. Que medo!”, opinou.

Você vai curtir!

Botão Voltar ao topo
rfwbs-sliderfwbs-sliderfwbs-sliderfwbs-sliderfwbs-sliderfwbs-sliderfwbs-sliderfwbs-sliderfwbs-sliderfwbs-sliderfwbs-sliderfwbs-sliderfwbs-slide