Marido de Ana Hickmann chora pelo irmão: “Julgado por homicídio?”

Reprodução/RecordAlexandre Correa comenta a denúncia contra seu irmão e se emociona no "Domingo Espetacular"

por
  • Reprodução/Record
    Marido de Ana Hickmann chora pelo irmão: "Julgado por homicídio?"
    Alexandre Correa comenta a denúncia contra seu irmão e se emociona no “Domingo Espetacular”

    Marido de Ana Hickmann, o empresário Alexandre Correa está indignado com a denúncia acatada pela Justiça contra seu irmão, Gustavo Correa, pela morte do fã da apresentadora.

No “Domingo Espetacular”, que foi ao ar no domingo (10), Correa chorou ao comentar a denúncia feita pelo Ministério Público (MP) de Minas Gerais. “É um garoto que nunca fez nada para ninguém, que trabalha desde os 13 anos de idade. Um menino que lutou a vida inteira julgado por homicídio?, disse emocionado.

Durante o atentado em Belo Horizonte, no quarto do hotel onde estava hospedado, Gustavo entrou em luta corporal contra Rodrigo de Pádua, o fã de Ana Hickmann, após ele, a mulher e a apresentadora serem feitos reféns.

A denúncia do MP é exatamente o oposto do que a Polícia Civil apontou em investigação. Em 20 de junho, o delegado responsável pelo caso, Flávio Grossi, pediu o arquivamento do inquérito, alegando que o cunhado da apresentadora teria agido em legítima defesa.

Na argumentação da denúncia, entregue na quinta-feira à Justiça pelo promotor Francisco de Assis Santiago, o MP aponta que Correa estava em legítima defesa, mas excedeu essa condição e praticou homicídio doloso. A principal prova disso, para a promotoria, é que Pádua morreu com três tiros na nuca.

“O promotor leu outro caso. Não foi o caso do meu irmão. O meu irmão lutou pela vida, porque ele nem sabia se a mulher dele e minha esposa estavam vivas”, afirmou Alexandre.

Ana Hickmann, que lançou uma campanha nas redes sociais nesta segunda-feira pelo cunhado, defendeu Gustavo na reportagem do “Domingo Espetacular”.

“Que homem em sã consciência, vendo as pessoas que ele ama sendo alvejadas, não iria tomar uma aitude? Que pai, irmão, não iria fazer isso? Ou iria assistir de camarote a todo mundo morrer?”, falou. “Eu não posso admitir que o meu imrão, hoje, seja apontado como culpado. Ele não é. Ele é meu herói. Ele salvou a minha vida”, afirmou a apresentadora.

Você também vai curtir