Após críticas, Luciano Huck cede espaço para haitianos falar sobre o País

Luciano Huck comentou na tarde deste sábado (16) as críticas que recebeu de um grupo de haitianos que vive em Curitiba, no Paraná. Eles não gostaram de uma reportagem veiculada pela TV Globo durante o intervalo do jogo entre Brasil e Haiti, no dia 8 de junho, e publicaram um vídeo na internet para reclamar da exposição no Brasil da imagem apenas de pobreza daquele País.

por

123

Luciano Huck comentou na tarde deste sábado (16) as críticas que recebeu de um grupo de haitianos que vive em Curitiba, no Paraná. Eles não gostaram de uma reportagem veiculada pela TV Globo durante o intervalo do jogo entre Brasil e Haiti, no dia 8 de junho, e publicaram um vídeo na internet para reclamar da exposição no Brasil da imagem apenas de pobreza daquele País.

As imagens exibidas pela emissora seriam  apenas do bairro Cite Soleil, na capital Port-au-Prince, conhecido pela pobreza e violência.

“Logo depois que eu voltei do Haiti, eu escrevi um artigo para o jornal ‘O Globo’ para relatar as experiência que eu vivi por lá, que foram super impactantes para mim. Em função disso, eu fui convidado pela turma do esporte para fazer uma participação especial no Show do Intervalo, no jogo do Brasil e do Haiti. Algumas dias depois, eu me deparei com um vídeo gravado por um grupo de haitiano e, assim, me fez refleti”, explicou o apresentador.

Huck levou o grupo de haitianos –os mesmos que postaram o vídeo com críticas ao apresentador– ao palco do “Caldeirão” para falar de sua terra natal. “Eu percebo que o Haiti é um País rico, com uma população acolhedora, mas com uma administração pobre. Precisamos vender a hospitalidade do país e isso daqui [a reportagem do ‘Caldeirão’] é uma oportunidade”, disse um deles. “O País está sofrendo com a mídia internacional, que só vende a imagem ruim”, afirmou outro haitiano.

Em seguida, Luciano Huck agradeceu a participação do grupo e ressaltou que “independentemente da cor, da pele, da língua ou da religião, eu acho que estamos todos no mesmo barco, eu acho muito legítimo vocês defenderem a terra de vocês, uma imagem positiva do Haiti”, contou.

Segundo o portal Paraná, parceiro do Popzone, o vídeo  foi produzido por alunos do projeto Projeto Português Brasileiro para Migração Humanitária (PBMIH) da Universidade Federal do Paraná (UFPR).

 

 

Você também vai curtir