Após tiro em carro de emissora, Abraji pede agilidade na apuração do caso

1Após o tiro que acertou o carro de reportagem da TV Record em um acesso ao Morro do Juramento, em Vicente de Carvalho, bairro na zona Norte do Rio de Janeiro, a Abraji (Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo) divulgou uma nota, na qual solicita às autoridades “agilidade na apuração do atentado”.

“Preocupada com a segurança dos jornalistas que cobrem ações policiais em comunidades do Rio de Janeiro, a Abraji solicita às autoridades de segurança pública agilidade na apuração do atentado cometido na manhã desta quinta-feira contra uma equipe da TV Record”, informou o comunicado da entidade.

Para a Abraji, a violência contra profissionais de imprensa no exercício de sua atividade não pode ser tolerada. “A intimidação a jornalistas é uma afronta ao direito fundamental de acesso a informações e prejudicial a toda a sociedade”, concluiu.

Segundo a agência Estadão Conteúdo, o ataque foi informado à Polícia Civil e a 27ª Delegacia de Polícia (DP), em Vicente de Carvalho, abriu inquérito.

Nos depoimentos, os três jornalistas disseram que o tiro foi disparado por um homem que os havia ameaçado com uma pistola. Segundo eles, o criminoso atirou cinco vezes, mas só um disparo atingiu o carro, perfurando o vidro dianteiro, na altura do banco do carona. O motorista sofreu ferimentos leves no rosto, causados por estilhaços de vidro. Não precisou de atendimento médico.

A equipe chegou ao morro do Juramento às 8h30, a fim de fazer a cobertura da ação policial, na qual militares do 41º Batalhão tentavam reprimir o tráfico de drogas.

De acordo com os depoimentos, o carro estava na rua Embaíba, que dá acesso à favela, a cerca de 200 metros de um blindado da PM. Foi então que surgiu o criminoso, que postou-se à frente do carro, armado com uma pistola, e gritou que não queria “fofoca”. A seguir, atirou. Os jornalistas telefonaram para a PM e pediram ajuda. O blindado escoltou o carro, que tinha logotipo da emissora, até fora da favela.

Leia a nota na íntegra 

Preocupada com a segurança dos jornalistas que cobrem ações policiais em comunidades do Rio de Janeiro, a Abraji solicita às autoridades de segurança pública agilidade na apuração do atentado cometido na manhã desta quinta-feira (10.set.2015) contra uma equipe da TV Record.

O repórter Ernani Alves e colegas estavam no carro da emissora acompanhando uma operação da Polícia Militar no Morro do Juramento, Zona Norte carioca, quando um bandido disparou com arma de fogo na direção do veículo. Uma bala atingiu o para-brisas, mas ninguém saiu ferido.

Foi aberto inquérito na 27ª DP de Vicente de Carvalho para investigar o ocorrido.

Para a Abraji, a violência contra profissionais de imprensa no exercício de sua atividade não pode ser tolerada. A intimidação a jornalistas é uma afronta ao direito fundamental de acesso a informações e prejudicial a toda a sociedade.

*Com informações da agência Estadão Conteúdo

Publicidade

Você vai curtir!

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios