Televisão

Após morte de Paul Walker, diretor de "Velozes e Furiosos 7" conduz filme ao final

velozes-e-furiosos-7

Por Mary Milliken

LOS ANGELES (Reuters) – Quando seu ator principal morreu de repente, James Wan sabia que não havia outro diretor que pudesse dar conselhos de como terminar o filme.

Wan estava na metade da produção de "Velozes e Furiosos 7" – seu primeiro filme de grande orçamento da franquia da Universal Pictures – 1quando Paul Walker morreu em um acidente de carro na Califórnia em novembro de 2013.

Como o diretor de 38 anos e seu elenco e equipe lidaram com a falta de Walker promete ser um dos tópicos mais comentados em um dos maiores filmes do ano. O filme de 190 milhões de dólares estreia nos cinemas dos EUA no dia 3 de abril e a expectativa é que quebre os recordes de bilheteria com 115 milhões de dólares no fim de semana de estréia.

Após uma pausa na produção, o elenco começou a selecionar milhares de horas de filmagens de Walker, não só do último filme, mas de todos os filmes da saga, para achar cenas e áudios para o lançamento.

Além do uso da tecnologia, a equipe convidou os dois irmãos mais novos de Walker para participar.

Críticos concordam e encorajam os espectadores a não tentar descobrir os truques. "Na maior parte que Walker está na tela (que é bastante), é quase impossível dizer se é real ou parcialmente virtual", disse o crítico cinematográfico Scott Foundas.

Walker reprisou seu papel como o ex-policial Brian O'Conner, que se junta a um grupo eclético de pilotos de rua liderado por Dominic Toretto, interpretado por Vin Diesel.

O diretor Wan sabia desde o começo que não deveria matar o personagem de Walker.

"A única coisa a se fazer é aposentá-lo com delicadeza e se despedir dele da maneira mais honrosa que pudermos pensar", disse Wan.

Sobre outro filme na franquia da Universal sob seu comando, Wan não diz nada.

Publicidade

Você vai curtir!

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios