“O cinema é machista ao mostrar apenas o nu feminino”, diz Juliano Cazarré

"O cinema é machista ao mostrar apenas o nu feminino", diz Juliano Cazarré

Protagonista de “Boi Neon”, do diretor Gabriel Mascaro, o ator Juliano Cazarré comentou as cenas em que aparece nu no filme, indicado ao troféu Redentor, prêmio máximo do Festival do Rio

Para ele, o cinema ainda precisa romper com um velho padrão que privilegia a exposição apenas de corpos femininos. Tanto em produções nacionais quanto estrangeiras.

“[Em ‘Boi Neon’] Há cenas de nu masculino, que geralmente vemos apenas em filmes com temática homossexual”, declarou.

“Há um machismo no cinema, que foca sempre no nu feminino. Não sei qual é o problema que há com o pinto.”

Destaque no Festival do Rio, “Boi Neon” conta a história de Iremar, um vaqueiro de curral que viaja pelo Nordeste trabalhando em vaquejadas enquanto sonha se tornar estilista.

A trama, que também passou pelo Festival de Toronto, venceu o prêmio especial do júri no Festival de Veneza. “É um que tem uma pegada estética incrível”, disse Cazarré.

Foto Rio News

"O cinema é machista ao mostrar apenas o nu feminino", diz Juliano Cazarré

Cazzaré e a mulher, Letícia Bastos, na cerimônia de entrega do troféu Redentor

Publicidade

Você vai curtir!

Você vai curtir!
Fechar
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios