“A gente vai além de um tom de pele”, diz protagonista negra de “Malhação”

Caiuá Franco/TV GloboAline Dias grava primeiras cenas de "Malhação" no Ceará

por
  • Caiuá Franco/TV Globo

    "A gente vai além de um tom de pele", diz protagonista negra de "Malhação"
    Aline Dias grava primeiras cenas de “Malhação” no Ceará

Primeira protagonista negra de “Malhação”, que estreia a temporada “Pro Dia Nascer Feliz” em 22 de agosto, Aline Dias, 24 anos, tem bastante características de sua personagem Joana, uma jovem otimista, gentil e alto astral que deixa Fortaleza, sua terra natal, após uma discussão com o padrasto com destino ao Rio de Janeiro. Persistente, a atriz enfrentou inúmeros testes, já fez parte do elenco de apoio da novela em 2012, vibra ao ver que cada vez mais o negro conquista papéis de destaque na TV e explica que talento vai muito além do tom da pele.

“É sempre importante falar sobre a questão do racismo porque ainda existe. A gente vai além de um tom de pele, o talento ultrapassa isso. As pessoas têm que ter respeito pelo que a gente é, e não pela nossa cor. Levanto a bandeira do respeito sempre, independente de ser negro ou não. Muitas das vezes, ele é muito mais atingido, isso é uma outra questão. Fico feliz porque em vários lugares a gente tem conquistado espaço”, opina.

Estevam Avellar/TV Globo

"A gente vai além de um tom de pele", diz protagonista negra de "Malhação"

Aline Dias comemora por viver a primeira protagonista negra de “Malhação”: “A gente vai além de um tom de pele”

Com número crescente de seguidores em suas redes sociais, Aline comemora o carinho recebido, está aprendendo a atualizar com mais frequência o Twitter e Instagram e conta que não foi alvo de ataques de haters.

“Crítica a gente sempre vai ter e tem que pegá-la e transformar numa coisa boa. Até então não tive nenhum ataque racista ou comentário maldoso. Espero que não tenha porque todos somos iguais. Isso mostra que a gente está evoluindo, conquistando mais espaço”, diz ela, que apoia que as pessoas que sofram preconceito denunciem à polícia.

“É necessário denunciar sim ataques racistas porque a gente está em pleno século 21 e isso não é normal de acontecer. A gente tem que entrar e sair de um lugar, sendo sempre bem respeitada, independente do tom de pele, da raça. Isso é pra ser denunciado sim, é triste de ver”, conclui a jovem atriz, ao lembrar casos recentes sofridos por Preta Gil, Taís Araújo e Sheron Menezzes.

Você também vai curtir