Cinema

Filme “Lima Barreto, ao Terceiro Dia” estreia nos cinemas de todo o Brasil no dia 29 de setembro

Publicidade

No dia 29 de setembro chega aos cinemas das principais capitais do Brasil o filme “Lima Barreto, ao Terceiro Dia”, uma obra de ficção inspirada na peça homônima de Luís Alberto de Abreu. Dirigido por Luiz Antonio Pilar, o longa aborda os três dias da última internação hospitalar do escritor Lima Barreto, no manicômio D. Pedro II, em 1919, no Rio de Janeiro, após uma forte crise de alucinação. Seu nome de batismo era Afonso Henriques de Lima Barreto. Como jornalista e escritor, publicou romances, sátiras, contos, crônicas e muitas obras em periódicos, principalmente em revistas populares ilustradas e anarquistas do início do século XX.

O roteiro traz Lima Barreto em duas versões: aos 42 anos, interpretado por Luis Miranda, e mais jovem, aos 30, na pele do ator Sidney Santiago Kuanza, fruto da sua memória e alucinações constantes. Além disso, durante toda a narrativa, é possível perceber três momentos distintos: o real, onde Lima conversa com um doente mental que divide com ele o quarto no hospital; o passado, o qual ele relembra diversas vezes o período que era jovem e escrevia o romance “O Triste Fim de Policarpo Quaresma”, uma de suas principais obras, e, por fim, temos o momento da ‘ficção’, onde os personagens deste mesmo romance ganham vida e são mostrados em cena de uma forma curiosa, fantasiosa e caricata.

Em uma mistura entre o tempo presente e o passado, as duas versões de Lima conversam, se confrontam, se ajudam e se intrigam diante do caos interno e das inúmeras perguntas sem respostas que o escritor tinha diante da vida. Assuntos atuais, como questões políticas e socioeconômicas, racismo e o papel da literatura no mundo são alguns pontos abordados durante os seus delírios consigo. Após a sua última internação abordada no filme, ele veio a falecer pouco mais de dois anos depois, em 1º de novembro de 1922.

“Lima Barreto, ao Terceiro Dia” ganhou no Cine PE 2021, festival de cinema realizado em Recife, o prêmio de Melhor Roteiro e Melhor Direção de Arte. O longa conta com distribuição da Pipa Pictures (de “Jovens Polacas”, “Christabel”, “Noites de Alface” e “Delicadeza é Azul”), e coprodução da Globo Filmes, Canal Brasil e Telecine.

Sinopse: Nos três últimos dias de sua internação em um manicômio, o escritor Lima Barreto, que sofreu com depressão e alcoolismo, relembra sua vida como jovem autor enquanto escrevia “Triste Fim de Policarpo Quaresma”, uma de suas principais obras. Aos 42 anos, o artista (Luis Miranda) fantasia sobre os personagens que criou e tem alucinações constantes que a todo instante o remetem à sua juventude, quando ainda era um rapaz de 30 anos (Sidney Santiago Kuanza). As duas versões de Lima Barreto também se confrontam com os personagens do romance, que ganham vida e aparecem em cena de forma fantasiosa e caricata. “Lima Barreto, ao Terceiro Dia” é dirigido por Luiz Antonio Pilar.

Publicidade
Publicidade

Você vai curtir!

Botão Voltar ao topo