Mãe de Rian Brito quer fazer documentário sobre o filho

Reprodução/Facebook/brita.brazilBrita Brazil e o filho Rian Brita Brazil, mãe de Rian Brito, que foi encontrado morto no último dia 3, disse neste domingo (6), que pretende documentar a história de seu filho com o ator Nizo Neto.

de
  • Reprodução/Facebook/brita.brazil

    Mãe de Rian Brito quer fazer documentário sobre o filhoBrita Brazil e o filho Rian

Brita Brazil, mãe de Rian Brito, que foi encontrado morto no último dia 3, disse neste domingo (6), que pretende documentar a história de seu filho com o ator Nizo Neto.

“Ano passado subi à Igreja da Penha 50 dias de joelhos, sendo 33 consecutivos. Agora será apenas uma vez por mês até a minha morte (e levando comida a um menino da comunidade ao lado), para que Ela não deixe, impeça de alguma mãe, irmã ou filha passar pelo que passei. E prometi, pedindo sua ajuda, que nada me impedirá explicar esta longa historia num documentário. Para as mentes maldosas de plantão, não estou vendendo um filme, mas é a única forma de levar esta história ao mundo. Necessária informação; para cessar esta irresponsabilidade no Brasil e no mundo”, escreveu Brita em seu Facebook.

Rian tinha 25 anos e estava desaparecido desde o último dia 23. O seu corpo foi encontrado na Praia do Valão, na Reserva de Jurubatiba, em Quissamã, no norte fluminense. O local é deserto e de difícil acesso. Nizo chegou a dizer que não entendeu o porquê de Rian ter ido para lá, se nem ele e nem ninguém da família tinham alguma relação com o local.

“Sei a resposta”

Após a coletiva de imprensa feita na sexta-feira, Brita disse que sabe por que Rian foi até lá sem avisar e levantou uma questão importante, a ausência de placas de perigo na praia.

“[A delegada Ellen Souto, titular da DDPA (Delegacia de Descoberta de Paradeiros] disse que Rian estava fraco e cansado quando chegou ao local. Nesta praia, segundo os moradores, ninguém mergulha por se tratar de mar aberto, ou seja, quando você dá dois passos entrando no mar, a areia acaba, e se você tentar voltar e pisar, é como em areia movediça, é sugado por enorme correnteza. Foi dito ontem por meus netos surfistas, que chegaram pro crematório do tão querido tio, é que nem surfista profissional em plena forma é capaz de lutar contra correnteza para voltar a margem, esgotando todas suas possibilidades. Nesta praia que mesmo sendo deserta e está aberta ao publico, deveria haver placas “PROBIDO NADAR”. A pergunta que não foi respondida é: por que Rian foi sem avisar, com dinheiro suficiente para passar um final semana e voltar? Após cremá-lo, será minha infinita denúncia, já que sei a resposta.”

A cremação de Rian é nesta tarde no Cemitério São Francisco Xavier, no Caju, zona norte do Rio de Janeiro.

Você vai curtir