Dr. Rey diz conta que apanhava do pai porque não era loiro

Um dos médicos mais ricos do mundo, Robert Rey, o Dr. Hollywood, não teve uma infância fácil. O cirurgião plástico, que recentemente lançou sua autobiografia na Bienal do Rio, disse que apanhava do seu pai quando era criança.

por

dr rey the noite

Um dos médicos mais ricos do mundo, Robert Rey, o Dr. Hollywood, não teve uma infância fácil. O cirurgião plástico, que recentemente lançou sua autobiografia na Bienal do Rio, disse que apanhava do seu pai quando era criança.

“Ele preferia as crianças loiras da família. Ele me odiava porque eu era  feio. Ele me surrava sempre. Ele me fazia ficar em um quarto escuro e dizia: ‘Você é um perdedor, você não vai ser nada, você nunca vai conquistar nada na vida'”, disse Dr. Rey em entrevista ao “The Noite” desta quinta-feira (1).

De acordo com o Dr Rey, seu pai, um americano que acabou se naturalizando brasileiro, começou a ter um comportamento agressivo quando  lutou pelos Estados Unidos na Segunda Guerra Mundial.

“Meu pai era um gringo louco. Ele se formou em engenharia, era um gênio, mas aí foi para a Guerra e voltou totalmente enlouquecido. Ele tinha um salário bom, mas gastava todo o dinheiro comprando armas”, disse.

Assista a entrevista


Vida difícil nos Estados Unidos

dr rey Após sofrer na infância nas mãos do seu pai. Dr Rey foi adotado por uma família americana de missionários mórmons e foi morar nos Estados Unidos. Formado em Havard, o apresentador disse que não foi fácil se tornar um médico reconhecido no exterior.

“Eu sou o perdedor com mais sucesso no mundo. Eu fui o último a aprender o ler no colégio. O brasileiro faz um ano de cursinho, não passa em medicina, e perde as esperanças. Gente, eu tentei seis vezes entrar em Havard até conseguir. Eu cheguei aos Estados Unidos após a morte de Luther King. Eu era proibido de falar português,  comer nossos pratos tradicionais. A minha melhor amiga foi a dor. Se eu fosse filhinho de papai, estaria na Cracolândia”, completou.

Você também vai curtir