Após 16 anos, protagonista de Pokémon trocará de voz no Brasil

  • Reprodução/Twitter/fabiolucindo

    Após 16 anos, protagonista de Pokémon trocará de voz no Brasil7.set.2015 – O dublador Fábio Lucindo vai deixar a série “Pokémon” após 18 temporadas como a voz do protagonista Ash

Se você tem menos de 25 anos, certamente já viu “Pokémon” (1997), uma das animações japonesas de maior sucesso no mundo. No Brasil, onde é exibido há 16 anos, uma mudança está provocando revolta e comoção entre os fãs. Fábio Lucindo, voz do protagonista Ash Ketchum, deixará o elenco de dublagem na 18ª temporada do desenho. Até um abaixo-assinado foi criado na internet pedindo a permanência do dublador.

Lucindo explica que soube da mudança por meio de colegas de trabalho que fizeram testes para substitui-lo. “Levei um susto”, diz. Dias depois, recebeu um e-mail do estúdio de dublagem Centauro informando a troca. “Fiquei muito surpreso e chateado, claro. Tanto pela notícia quanto pela forma que chegou até mim”, lamenta.

Lucindo acaba de se mudar para Portugal, onde estudará na Universidade de Coimbra. Ficará três anos longe do Brasil. Para ele, este é o principal motivo para a troca de voz em “Pokémon”, embora o dublador tenha se oferecido para trabalhar à distância.

“Assim que soube que fui aceito na universidade, entrei em contato com ambos [cliente e estúdio] e, em teoria, todos se mostraram tranquilos com tal possibilidade, afinal ‘Pokémon’ também é dublado por aqui, em Lisboa. Eu me coloquei à disposição para me deslocar até lá para gravar caso fosse necessário”, explica. Ele foi informado que, antes de se despedir de “Pokémon”, ainda dublará a 17ª temporada e o próximo filme da franquia. “O que fez menos sentido ainda para mim”, estranha.

Assim que Lucindo divulgou nas redes sociais o seu afastamento de ‘Pokémon’, dubladores e fãs o apoiaram e lamentaram a saída com a tag #FicaLucindo. Uma petição online contra a mudança de voz de Ash Ketchum conta com mais de 2.800 assinaturas até a noite de segunda-feira (7). O dublador admite ter se surpreendido com o apoio de fãs e dubladores (alguns se recusaram a dublar “Pokémon” sem ele) e torce para que o apelo faça a decisão ser revista: “Foi agora, com a eventual substituição, que pude ter uma noção mais concreta da potência desse trabalho e da paixão e do engajamento dos fãs da série”.

Fábio Lucindo dubla Ash Ketchum desde o primeiro episódio de “Pokémon”, lançado no Brasil em 1999. Na época, ele tinha 14 anos. Hoje, aos 31, acha estranho ouvir sua voz na adolescência e prefere a forma como dubla o treinador de pokémons atualmente.

“Agora requer mais cuidado. Dificilmente gravo “Pokémon” de manhã, justamente para estar aquecido. Mesmo assim, é tranquilo. É um ‘apoio’ vocal que não me machuca nem nada”, explica.

Além de “Pokémon”, Fábio Lucindo empresta sua voz a outros desenhos como “Dragon Ball”, “Hey Arnold!” e a animação brasileira “Peixonauta”. Também dubla séries como “Glee” e “Prison Break” e as franquias “Percy Jackson” e “Alvin e os Esquilos”. Na TV, apresentou na Cultura o programa “Cambalhota” (2007-2009). Em agosto, publicou o livro “Até Então” (Estúdio Aspas).

Febre no Brasil e no mundo

O game “Pokémon” (abreviatura de Pocket Monsters, ou Monstros de Bolso em tradução livre) foi lançado no Japão em 1996. No ano seguinte virou anime e explodiu no mundo. Com mais de 800 episódios, 18 filmes, além de mangás, jogos de cartas e itens colecionáveis, é uma das franquias mais bem-sucedidas da indústria do entretenimento. Até 2013, faturou 4 trilhões de ienes (mais de R$ 128 bilhões, na cotação atual).

“Pokémon” estreou no Brasil em maio de 1999, dentro do programa infantil da apresentadora Eliana na Record. Apesar da polêmica envolvendo uma cena que teria feito mais de 13 mil crianças japonesas passarem mal com raios de luz intensos e coloridos do pokémon Pikachu, o desenho virou febre, desbancou a Globo e foi líder no Ibope, com médias de sete pontos e picos de 11 (cada ponto equivalia a 43 mil domicílios na Grande São Paulo).

O anime e os filmes de “Pokémon” já passaram por Globo, SBT e RedeTV!. Atualmente, está fora da TV aberta. Na TV paga vai ao ar nos canais pagos Cartoon Network e Tooncast. Em setembro, a plataforma online Netflix incluiu em seu catálogo as duas primeiras temporadas do desenho.

Publicidade

Você vai curtir!

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios