Conheça Glamour Garcia, a Britney de “A Dona do Pedaço”

por

“Eu não sou falsificada. Sou uma mulher de verdade. Mulher suficiente pra fazer qualquer homem cair aos meus pés. Só que não estou interessada em namorar, casar. Quero ser livre!”. É assim que Britney, personagem de Glamour Garcia em “A Dona do Pedaço”, responderá ao entusiasmo da família sobre as investidas de Abel (Pedro Carvalho) nos próximos capítulos.

No entanto, diferentemente da moça, Glamour Garcia é mulher de se amarrar no amor. Já foi casada duas vezes e, atualmente, namora o produtor Gustavo Dagnese. A atriz trocou a cidade de Marília, no interior paulista, pelo Rio de Janeiro para se dedicar ao seu primeiro papel em uma novela da Globo .

“Meu sonho mesmo era ser atriz, independentemente do lugar de atuação: teatro, cinema ou TV. Mas não posso negar que é uma emoção grande estrear na Globo . O carinho comigo é grande, e a minha responsabilidade também. Estou super animada com esse trabalho. Está rolando um burburinho… Cada vez que mexo no celular, é uma notícia nova a meu respeito”, vibra a loira.

Sobre sua personagem, que também é trans, Glamour revela que é o trabalho mais incrível da carreira. “O que eu acho mais legal nela é ser trans, porque muitas temáticas sobre esse nosso universo vão poder ser debatidas na trama dela. Esse papel tem um lado bem didático. Abre um diálogo entre a comunidade LGBTQI+ e a sociedade em geral”, declara.

Namorando há algum tempo, a estrela revela que se relacionar com homens foi complicado. “Mais complicado do que para as demais mulheres, com certeza. O que mais atrapalhava era o preconceito. Eles não assumem seu desejo, temem demonstrar que se sentem atraídos por alguém diferente. Mas eu paquerei, levei muito sim e muito não. E essas experiências me fizeram crescer como pessoa”, afirma.

Sobre sua transição, Glamour diz que começou na juventude. “Com 18 anos. Ficou mais evidente no tipo de roupa que comecei a usar no dia a dia, no meu comportamento. Faço tratamento hormonal há muitos anos e isso foi mudando minha estrutura física. Mas só há dois anos consegui minha nova documentação, como Daniela Garcia Machado”, diz.

“Foi burocrático, demorado. Antes, eu me chamava Daniel. Quis preservar um pouco de quem eu era, ninguém muda do nada. Glamour é nome artístico”, explica.

Sobre uma possível redesignação de gênero, a jovem afirma que pretende fazer. “Eu quero, mas preciso de tempo e dinheiro pra isso. Essa operação custa R$ 80 mil, em média. Meu plano é trabalhar bastante agora, ganhar muito dinheiro, para depois realizar. São seis meses só para recuperação”, conta.

Sobre bullying na infância, Glamour afirma que sofreu com isso. “Bastante! Agressões físicas, ameaças… Parar e lembrar disso é triste, doloroso. Mas eu também era reativa, sabia me defender. Não ficaram traumas profundos. Não guardo lembranças negativas”, declara.

Já sobre o apoio da família, ela conta que seus pais, principalmente sua mãe, que é psiquiatra, foram de extrema importância. “Devo tudo a ela. O conhecimento que tinha por conta da profissão, ela utilizou para me ajudar a ser feliz. Terapia é importante para todo mundo. E foi pra mim: fez eu me encontrar socialmente, preservou minha saúde mental”, declara.

“Hoje, eu e meus pais somos melhores amigos. Sinto muita saudade deles porque estou morando no Rio de Janeiro e eles continuam no interior de São Paulo. Mas eles e meus três irmãos estão orgulhosíssimos me vendo feliz e trabalhando com o que eu gosto”, comemora Glamour Garcia .

Você também vai curtir