Famosas se posicionam e pedem que o STF criminalize a homofobia

por

Diversos artistas usam suas redes sociais para manifestar apoio à criminalização da homofobia, que está na pauta do Supremo Tribunal Federal (STF) nesta quinta-feira. O ator Lázaro Ramos, por exemplo, resumiu sua posição sobre o tema escrevendo que “garantir direitos do outro, sem tirar direitos de ninguém, só ofende quem não sabe o que é direito, ou o que é o outro”.

O julgamento de dois processos sobre essa temática começou nesta quarta-feira e prosseguirá a partir das 14h desta quinta-feira, com os votos dos relatores.

A atriz Taís Araujo, que casada com Lázaro, também deixou claro que defende a criminalização da homofobia. Ela frisou que o Brasil é “o país que mais mata LGBTs no mundo” e que agora tem “a oportunidade de combater essa violência”.

“O STF vai julgar a criminalização da homofobia e da transfobia no Brasil. Pela dignidade e pela vida de tantos brasileiros e brasileiras, #CriminalizaSTF! #ÉCrimeSim”, afirmou Taís.

A apresentadora Eliana Michaelichen ressaltou a mesma estatística e ainda afirmou que “criminalizar a homofobia vai além de fazer o que é certo – é ajudar a salvar vidas”.

A modelo Gisele Bündchen, assim como aproximamente outros 18 mil usuários da rede social, usou a hashtag #criminalizastf para se manifestar. No Instagram, esse termo vem sendo um dos mais usados pelos internautas, assim como #écrimesim, postada cerca de 13 mil vezes.

Você também vai curtir