Morre Edyr de Castro, ex-integrante das Frenéticas

por


“Abra suas asas, solte suas feras, caia na gandaia, entre nessa festa”. Quem já cantou este verso da canção Dancing Days certamente já ouviu falar nas Frenéticas. O extinto grupo vocal feminino, que fez bastante sucesso na década de 1970, perdeu uma de suas integrantes nesta terça-feira, 15. A cantora e atriz, Edyr de Castro, faleceu aos 72 anos, no Rio de Janeiro.
Edyr morava no Retiro dos Artistas, em Jacarepaguá, desde 2011, e sofria de Mal de Alzheimer. A cantora estava internada por conta de uma pneumonia e veio a óbito por falência múltipla dos órgãos. O velório será nesta quarta-feira, 16, às 10h, na capela 2 do Memorial do Carmo, no Caju, região portuária do Rio. O corpo será cremado às 13h.

Nascida em 2 de setembro de 1946, no Rio de Janeiro, Edyr dividia a carreira como cantora e atriz. Antes de entrar para As Frenéticas, integrava o elenco do musical de sucesso Hair. Mais tarde, também ficou conhecida pelos seus papeis na televisão, em novelas como Roque Santeiro, Por Amor, Cabloca e Sete Pecados, além de séries como Anos Rebeldes e Chiquinha Gonzaga.
Nas redes sociais, famosos lamentaram a morte da atriz. “Edyr de Castro, a mais sábia de todas nós”, escreveu a amiga e ex-integrante das Frenéticas, Leiloca. A cantora Simone também postou uma foto em homanagem a Edyr.

As Frenéticas
Composto por seis mulheres, além de Edyr e Leiloca Neves, Dhu Moraes, Lidoka Martuscelli, Regina Chaves e Sandra Pêra, o grupo As Frenéticas foi formado por Nelson Motta, em 1976. A ideia inicial era que elas fossem garçonetes e fizessem performances na badalada boate carioca The Frenetic Dancing Days Discothèque. Com o fechamento do local, formou-se o grupo.
Entre as canções de maior sucesso, além de Dancing Days, que foi trilha sonora da novela de mesmo nome em 1978, estão Caia na Gandaia e Perigosa.

Você também vai curtir