TOPO

A história da Turma do Balão Mágico

por Redação / Publicado em quinta-feira, 12 jul 2018 14:34 PM / / 279 views


Eles voltaram! Depois do anúncio de retorno feito em março deste ano, Simony, Mike e Tobe, a Turma do Balão Mágico original, fizeram seu primeiro show de retorno encerrando a Virada Cultural em maio. A plateia, composta em sua grande maioria por crianças acima de 40 anos, relembrou com alegria os grandes hits do grupo, sucesso absoluto nos anos 80, com mais de 12 milhões de discos vendidos no total. O amigo Jairzinho, que fazia parte da Turma original, não retornou ao grupo, pois está morando nos Estados Unidos. Para o público, não foi difícil enxergar ali, naqueles três adultos respeitáveis, a turma que embalou milhões nos anos 80, já que a alegria e a energia deles continua a mesma. Eles dão continuidade às comemorações dos 35 anos de trajetória com show no Tom Brasil, no sábado, dia 16 de junho.

Como aqui neste espaço falamos das coisas legais do passado, vamos relembrar um pouco da história deste fenômeno cultural chamado A Turma do Balão Mágico.

Tudo começou em 1981, quando Simony foi cantar no já consagrado Programa Raul Gil. A menina, com apenas 5 anos de idade, imediatamente conquistou o público. O produtor Tomas Muñoz estava querendo montar um grupo musical infantil e viu nela um grande potencial para o projeto. Nesta mesma época, um garoto chamado Vimerson Benedicto fazia comerciais para a TV e cantava em programas de calouros. Ele acabou fazendo um teste para o grupo infantil, levado por seu irmão mais velho, e foi aceito prontamente, para fazer uma dupla com a pequena Simony.

Quando o primeiro disco da dupla estava quase pronto, aconteceu um fato curioso. Ronald Biggs, famoso assaltante britânico que participou do “crime do século” na Inglaterra (o assalto ao trem pagador, em 1963, que virou até filme), vivia no Brasil desde os anos 70. Em 1981, ele foi sequestrado e levado para o Caribe, e seu filho, o garoto Michael Biggs, apareceu na televisão fazendo um apelo emocionado pela vida do pai. Por uma série de brechas na lei, Ronald Biggs conseguiu ser mandado de volta ao Brasil, e seu filho Michael acabou convidado pelo produtor Tomas Muñoz para fazer parte da Turma do Balão Mágico.

Estava assim formado o grupo. Vimerson virou Tobe, uma corruptela de seu sobrenome Benedicto, e Michael foi apelidado de Mike. Simony, Tobe e Mike passaram a fazer uma série de shows pelo Brasil para divulgar o primeiro disco, que vendeu mais de 1 milhão de cópias e incluía as músicas Galinha Magricela, Baile dos Passarinhos e O Trenzinho, além de vir com uma máscara de palhaço para destacar e brincar. Isso foi em 1982.

A Turma era um sucesso gigantesco entre as crianças, e a Rede Globo logo viu o potencial da ideia. Lançou em março de 1983 o programa Balão Mágico, estrelando as três crianças e um alienígena com cara de bonzinho e amigo de todos, que se tornaria símbolo de uma geração: o Fofão. O segundo álbum do grupo vendeu 1 milhão de cópias somente no Natal daquele ano de 1983, e a Turma conquistava cada vez mais espaço nas rádios e na TV. Seu programa na Globo passou a ter maior duração, mais atrações e havia se tornado o programa infantil diário de maior sucesso na televisão brasileira. Superfantástico, um dos hinos do grupo, faz parte deste segundo disco.

Apesar da agenda cheia, com shows, apresentações na TV e seu programa diário, a gravadora preparava um novo disco para a Turma, e pensavam em incluir mais um integrante, de preferência uma menina, mas acabaram mudando de ideia quando o garoto Jair Oliveira, filho do cantor Jair Rodrigues, segurou um show sozinho no Maracanã, que era pra ter a participação de Pelé, mas que o jogador cancelou na última hora. O garoto se saiu muito bem e acabou sendo convidado para ser o quarto integrante da Turma, fazendo os produtores abandonarem a ideia de chamar uma menina para o grupo.

Em setembro de 1984 foi lançado o terceiro disco, com os quatro integrantes, e considerado por muitos o melhor do grupo. Puxado pelas faixas Amigos do Peito, Se Enamora e É Tão Lindo, o disco não parava de tocar nas rádios, elevando novamente a Turma do Balão Mágico a novos recordes de venda. É até hoje o disco mais vendido da Turma.

As crianças estavam crescendo. Tobe, o mais velho da Turma já estava com 14 anos e passava por grandes mudanças na voz. A gravadora achou por bem tirá-lo do grupo, para manter o foco infantil, e em seu lugar entrou Ricardinho, então com 10 anos de idade, que havia ganho um concurso para entrar no grupo. Com ele, gravaram o quarto disco em 1985, que foi também considerado um sucesso comercial, apesar de ter vendido apenas um terço do que vendeu o disco anterior. A Balão-mania parecia estar perdendo fôlego.

O último disco foi gravado em 1986. Mike e Ricardinho abandonaram o grupo logo após o lançamento do disco, restando apenas Simony e Jairzinho. O programa na Globo acabou em maio daquele ano, sendo substituído pelo Xou da Xuxa, recém-contratada que vinha da Manchete. Os últimos shows da Turma tinham, além de Simony e Jairzinho, Luciana Benelli, que era prima de Simony, e Luciana Mello, que era irmã de Jairzinho. No fim de 86, o grupo finalmente foi desfeito completamente.

As conversas para uma reunião da turma acontecem há cinco anos, segundo Simony. Eles pensaram em fazer shows por todo o Brasil relembrando os grandes sucessos, inclusive com algumas participações de Jairzinho, seja pessoalmente ou por meio de tecnologia. Mas uma das grandes preocupações dos integrantes era se não ia ficar ridículo três quarentões cantando músicas infantis num palco. Felizmente para nós, eles resolveram ir em frente!

Veja matéria completa: http://vejasp.abril.com.br//

|

Comentários no Facebook