TOPO

Advogado tenta suspender investigação de agressão de Marcos em Emilly

de André Sank / quinta-feira, 20 abr 2017 14:13 PM / / 74 views

O advogado Roberto Flávio Cavalcanti tenta suspender as investigações da Delegacia da Mulher de Jacarepaguá, na zona oeste do Rio, sobre as agressões de Marcos em Emilly durante uma discussão dentro do “BBB17”. As delegadas Viviane da Costa Pinto, titular da DEAM e Marcia Noeli, chefe da Divisão de Polícia de Atendimento à Mulher (DPAM), ouviram depoimentos do cirurgião e da vencedora do reality show recentemente.

“Há sim um Habeas Corpus para eu responder. Recebi ontem na parte da tarde”, confirmou a delegada Márcia nesta quarta-feira (19).
O juiz Marco Couto, da 1ª Vara Cível de Jacarepaguá, determinou que a delegada preste esclarecimentos sobre o caso em 72 horas para decidir se concederá ou não a liminar.
O advogado contou que tomou a decisão porque entende que a Lei Maria da Penha deve ser aplicada em caso de violência doméstica, o que não aconteceu, já que tudo ocorreu dentro de um reality show.
“Não tenho nenhum vínculo profissional e pessoal com ele. Entrei com esse pedido de Habeas Corpus para questionar a atitude de aplicar a Lei Maria da Penha, pois as dependências da rede Globo não constituem espaço doméstico e não há vínculo familiar entre as pessoas envolvidas”, explicou.
A assessoria de Marcos Harter esclareceu que não foi Marcos e nem o advogado dele que entraram com o pedido de Habeas Corpus e enviou uma declaração dele sobre o assunto. “Tomei conhecimento hoje, através da imprensa, de que foi impetrado em meu nome um habeas corpus. Nego veementemente qualquer medida nesse sentido. Isso não foi efetuado por mim, nem pelos advogados que me representam. Já estamos tomando as medidas cabíveis”.
Na segunda-feira, Emilly esteve na delegacia para depor sobre as agressões que teria sofrido por parte de Marcos Harter – e que levaram o médico a ser expulso do programa.
Marcos Harter prestou depoimento na quarta-feira, véspera da final do “BBB17”. Na ocasião, a delegada Viviane Pinto, titular da delegacia, falou sobre o inquérito que apura o suposto crime de lesão corporal cometido pelo médico contra Emilly.
“Quando a Polícia Civil tomou conhecimento de um possível delito de violência doméstica ocorrendo no interior do reality show, a diretora do departamento me ligou e nós analisamos brevemente os momentos e vimos sim que ali havia indícios do crime de lesão corporal praticados contra a participante Emilly. Por isso decidimos instaurar inquérito policial para apurar o crime de lesão corporal”, disse.
Agressão

Durante a madrugada do dia 9 de abril, Marcos perdeu o controle e encurralou Emilly em um canto da sala. O desentendimento aconteceu após a gaúcha sair da festa com Vivian e perguntar para o brother se ele queria que ela ganhasse o reality. Marcos respondeu apenas que o público deveria decidir.

Imagem: Reprodução/Gshow

“Isso é ridículo, Marcos. Pra mim você falou várias vezes que queria que eu ganhasse e a Vivian ficasse em segundo. Mas daí na frente dela tu fala que prefere que o público decida? Na cara da Vivian você não diz, né? E eu tenho que ficar vendo você babando nessa mulher na minha frente. Transbordou o meu balde. Chega. Não quero você perto de mim”, reclamou Emilly. Marcos estava dando risada da situação, e tentou dar um abraço na sister, que recusou e se esquivou inúmeras vezes.

Marcos deu risada por alguns minutos, mas depois se descontrolou e colocou o dedo na cara de Emilly, encurralando-a no canto da sala: “Espera. Então você só está comigo porque eu quero que tu ganhe? Presta atenção, Emilly, você tem que ficar comigo independente de quem eu quero que ganhe”.

Depois, no quintal da casa, Marcos deitou por cima de Emilly, no chão, e começou a chorar enquanto dava leves batidas com a cabeça da sister no chão.

Em outra ocasião, Emilly mostrou um hematoma no braço e disse que ele foi causado por Marcos, que a beliscou “por ciúmes”.

Comentários no Facebook

Anuncie | Expediente | Contato