TOPO

Leandra Leal estrela terror nacional gravado no hospital em que nasceu

por Bibi Toledo / Publicado em segunda-feira, 05 dez 2016 11:01 AM / / 363 views

leandra-lealO terror nacional “O Rastro”, que estreia em 30 de março de 2017, teve seu trailer divulgado pela primeira vez nesta sexta-feira (2) na Comic Con Experience, em São Paulo. Seus protagonistas, Rafael Cardoso e Leandra Leal, apresentaram o filme ao lado do diretor J.C. Feyer, e dos produtores e roteiristas. O vídeo, que ficou pronto apenas um dia antes, era novidade tanto para o público quanto para os atores.

“O Rastro” conta a história de um médico responsável por remover os pacientes de um hospital que será desativado. O filme foi gravado em um hospital real que passava pela mesma situação no Rio de Janeiro, o Beneficência Portuguesa. Foi lá que Leandra Leal e boa parte da equipe nasceram.

A atriz comentou a coincidência: “O hospital é o lugar por onde a pessoa entra no mundo e também por onde ela sai, um espaço muito cheio de energia. Mas é um lugar que estava tão desfigurado que não me conectei. Era muito diferente o que a gente estava tratando lá”. Leandra se refere ao ambiente que a produção encontrou assim que fechou a locação.

A área em que “O Rastro” foi gravada estava abandonada há 16 anos e outros pacientes eram removidos das áreas mais novas do hospital, comprado por uma rede particular. O local tinha ratos, morcegos e pombos e, apesar de ser o cenário perfeito para um terror, precisou passar por uma higienização para ter condições mínimas de filmagem.

A personagem da atriz é Leila, mulher grávida do personagem principal, o médico João, este interpretado por Rafael Cardoso. O ator confessa ter sentido uma “energia diferente” no local e até tomou um susto real enquanto gravava uma das cenas do longa. Uma porta se abriu sozinha, surpreendendo até mesmo o diretor.

Entre outros sustos reais, a equipe conta que foi alertada por seguranças do hospital sobre a existência de uma fantasma no quinto andar do prédio. Segundo os funcionários, a mulher costumava aparecer para eles com roupas brancas sujas de sangue. J. C. Feyer relembrou um dos momentos mais apavorantes.

“Tinha que gravar uma cena do outro lado do hospital. Estava escuro, à noite, e fui sozinho ver como era a sala. Tinha uma luz acesa em um corredor cheio de plásticos. Quando eu já estava me aproximando, a luz se apagou. Virei para trás e não voltei mais lá”, contou o diretor do filme.

Apesar de a história de “O Rastro” ser ficção, ela é baseada no estado de calamidade em que se encontra a saúde do Rio de Janeiro, “A gente trouxe o Brasil para dentro de nossa história. É um filme autoral ancorado na realidade brasileira que é muito mais assustadora do que o sobrenatural”, ironizou.

Aceitação do público

Apresentado em um auditório cheio, o trailer de “O Rastro” foi bastante aplaudido e elogiado pelo público presente. A discussão, no entanto, enveredou para a falta de filmes de terror no cinema nacional. “É difícil falar (de bilheteria) porque não temos referência. Estamos construindo (o terror nacional), ‘O Rastro’ está aí para isso”, opinou Leandra Leal.

J. C. Feyer citou José Mojica como maior referência do gênero no cinema nacional, mas fez questão de deixar claro que o filme dele é bem diferente do estilo do Zé do Caixão. “O Rastro” tem sim alguns sustos e também sangue, mas foca mais no terror psicológico, estilo consagrado por Stanley Kubrick em “O Iluminado”, votado como o melhor filme do gênero por pelo menos 90% do público presente no painel da Comic Con.

“A média de bilheteria de brasileiros que vão ao cinema para ver terror internacional é alta, mas a nacional é zero. Por que vocês não vão ver os filmes nacionais de terror? Eu que pergunto para vocês. Pensem nisso”, reforçou a produtora Malu Miranda citando filmes internacionais que fizeram números até dez vezes maiores que nacionais com atores bastante conhecidos.

O elenco de “O Rastro” conta ainda com Felipe Camargo, Claudia Abreu, Jonas Bloch e Alice Wegmann. O filme estreia em 30 de março de 2017.

|