TOPO

“Brasil precisa de um chefão durão”, diz Justus sobre possível candidatura

por André Sank / Publicado em quarta-feira, 23 nov 2016 17:09 PM / / 404 views
  • Leo Franco/AgNews
    "Brasil precisa de um chefão durão", diz Justus sobre possível candidatura
    Roberto Justus e a mulher Ana Paula Sibert no jantar beneficente promovido pelo Instituto Ressoar em São Paulo

    Apesar de classificar como “precipitada” a divulgação de suas intenções de se candidatar a um cargo político, o apresentador Roberto Justus voltou a comentar a possibilidade de concorrer nas próximas eleições presidenciais do Brasil.

    “O dia que eu decidir se vou me candidatar para alguma cargo político aí vou me preocupar com isso [aprovação do público]”, disse Justus em entrevista ao Popzone, nesta terça-feira (22), durante jantar benefiente promovido pelo Instituto Ressoar, em São Paulo. “Acho que eu sou eu, ame ou deixe, não tenho que me preocupar em convencer alguém de nada. Sempre pautei minhas ações da minha forma, com o meu pensamento. As pessoas me conheceram na televisão, viram o chefe durão em ‘O Aprendiz’. Isso ajudou a criar a imagem de chefe durão, implacável. Acho que o Brasil precisa de um chefão durão, mas que tenha a meritocracia básica. Você precisa ter uma equipe maravilhosa porque você não faz nada sozinho. Tem que fugir das más influências, maus políticos. Tenho boas intenções de ajudar o meu país, mas isso não significa cantar candidatura de nada ainda”, completou.

    Justus também afirmou que já foi sondado por partidos, inclusive o PSDB, pelo qual João Dória se elegeu em São Paulo, mas que nunca se interessou. “No Brasil, um cara como eu só precisa de partido porque não dá para ser independente. Mas não sou candidato a nada, só admiti a possibilidade de ser, eu ou alguém, porque eu gostaria de ver um empresário governando o Brasil”.

    O apresentador disse ainda que o fato de sua aposentadoria estar próxima faz com que a decisão de entrar para a política seja ainda mais difícil. “Estou com a vida que construí confortável com a minha mulher e tudo. Largar tudo isso, me mudar para Brasília e pegar um pepino deste tamanho não é uma escolha fácil”.

|