TOPO

Após frase polêmica, Faustão se explica e discute violência contra mulher

por André Sank / Publicado em segunda-feira, 14 nov 2016 13:56 PM / / 268 views
  • Reprodução/TV Globo
    Após frase polêmica, Faustão se explica e discute violência contra mulher
    Faustão se explica e discute violência contra mulher após frase polêmica

     

Depois de causar polêmica ao afirmar que “tem mulher que gosta de homem que dá porrada”, Faustão aproveitou o espaço em seu programa na tarde deste domingo (13) para explicar o sentido da declaração.

“Quando eu disse sobre ‘questão da porrada’ não é nada disso que muita gente, muita gente, não, algumas pessoas entenderam. Elas [as bailarinas do programa], inclusive, entenderam, porque são meninas que fazem faculdade. Às vezes, você fala para uma amiga ‘não se mete com esse cara porque ele é galinha ou ele é porco, é pão duro ou é bebum’, aí o que acontece, a mulher não ouve o amigo ou a amiga, ela insiste porque ela acha que vai recuperar, e foi isso que falamos aqui”, se justificou Faustão.

O apresentador também debateu o assunto com a cantora Marília Mendonça. “A violência doméstica é crime. A gente fala sobre isso há muito tempo, há mais de 20 anos. Se você está com relacionamento sério, o cara é grosso, te trata mal, não vale a pena também [continuar]”, finalizou Fausto.

Na semana passada, Fausto Silva provocou a ira de internautas nas redes sociais ao afirmar que “tem mulher que gosta de homem que dá porrada”.

“Homem que dança leva vantagem com a mulherada?”, perguntou Fausto à plateia. Depois de receber a resposta positiva, o apresentador emendou. “Tem mulher que gosta de homem bêbado, que gosta de homem que dá porrada, ela diz ‘vou recuperá-lo’. Ah, então vai ser enfermeira, p @ # # @”, disse ele, sem segurar o palavrão.

“Mas tem mulher que gosta de homem que sabe dançar, que puxa a cadeira”, amenizou, em seguida.

As palavras do apresentador geraram reação (negativa) imediata de O web. “Senhor Fausto Silva não ‘existe mulher que gosta de apanhar’, tem mulheres sim, aprisionadas em histórias de muita dor”, disse um deles, acrescentando a famosa hashtag #calaabocafaustao.

“Estava vendo o Faustão e ele me solta um ‘tem mulher que gosta de bêbado, de homem que dá porrada’. Meu deus, que nojo”, repudiou outro.

Organizações Não Governamentais também enviaram carta pedindo direito de resposta à direção da TV Globo, conforme informou a colunista Mônica Bergamo, do jornal Folha de S. Paulo.

Segundo dados divulgados pela Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres, o Ligue 180, número da Central de Atendimento à Mulher em Situação de Violência, registrou um aumento de 133% nos relatos envolvendo violência doméstica e familiar, no primeiro semestre deste ano, em comparação ao mesmo período em 2015.

|