“The Woman Who Left”, de Lav Diaz, vence o Leão de Ouro em Veneza

"The Woman Who Left", de Lav Diaz, vence o Leão de Ouro em Veneza, neste sábado (10). O filme conta a história de Horacia, uma professora que passou 30 anos em uma unidade correcional por um crime que não cometeu. Quando ela é finalmente libertada, luta com os desejos de vingança e perdão.

por

000_g15jf“The Woman Who Left”, de Lav Diaz, vence o Leão de Ouro em Veneza, neste sábado (10). O filme conta a história de Horacia, uma professora que passou 30 anos em uma unidade correcional por um crime que não cometeu. Quando ela é finalmente libertada, luta com os desejos de vingança e perdão.

Amat Escalante e Andrei Konchalovski compartilharam o leão de prata, concedido ao melhor diretor por La Region Salvage e Paradise, respectivamente.

Nesta edição, as mulheres tiveram amplo predomínio: questões femininas como a emancipação da mulher, a liberdade sexual e a luta contra o machismo deram o tom na programação da mostra italiana.

Emma Stone ganhou o prêmio Volpi Cup de melhor atriz por “La La Land”, um tributo à época de ouro dos musicais norte-americanos dirigido por Damien Chazelle. O filme abriu o festival e foi muito aplaudido pelo publico.

Um dos filmes mais cotados para ganhar prêmios, o francês “Une Vie”, de Stéphane Brizé, mostrou as dificuldades de ser mulher em uma sociedade patriarcal e sexista como era a França no século 19.

Jacqueline Kennedy, vivida com brilhantismo por Natalie Portman em “Jackie”, foi outra mulher que ganhou destaque em Veneza. O filme dirigido por Pablo Larraín (“No”) a mostra como uma mulher muito forte em aparições públicas, mas vulnerável e vaidosa na intimidade. “Jackie” venceu o prêmio de melhor roteiro na premiação principal do festival.

Você também vai curtir