TOPO

Sônia Braga: Escolha de filme reflete gosto deste Ministério da Cultura

por Bibi Toledo / Publicado em terça-feira, 13 set 2016 13:06 PM / / 325 views

sonia-braga

Homenageada na noite desta segunda-feira (12) em um evento no Festival Internacional de Cinema de Toronto, a atriz Sônia Braga, 66, comentou sobre a decisão da comissão do MinC (Ministério da Cultura) de não indicar o longa como candidato brasileiro ao Oscar 2017. “‘Aquarius’ não foi rejeitado e, sim, outro filme foi o escolhido em um processo natural. Eram vários competidores, reflete o gosto estético da comissão deste Ministério da Cultura”, disse ela. Na manhã de segunda-feira, a comissão divulgou que o drama “Pequeno Segredo”, dirigido por David Schurmann, será o representante brasileiro na disputa por uma indicação na categoria de filme estrangeiro.

“Este filme [‘Aquarius’], que foi como uma missão de resgate de minha carreira no Brasil, tem uma vida própria, e bem dele. Ele foi a Cannes, vai ao festival de Nova York, tem estreia garantida em mais de 50 países, foi recebido com elogios pela crítica e por plateias no Brasil e mundo afora. ‘Aquarius’ me deu a alegria de estar aqui com vocês celebrando minha carreira”, disse Braga.

O diretor Kleber Mendonça Filho, 48, também comentou na ocasião e disse que “Aquarius” não é um filme brasileiro a procura de um distribuidor internacional. “Viajo amanhã para Paris para o lançamento do filme na França no dia 28 e, depois de passar por Bruxelas e Zurique, teremos o lançamento nos Estados Unidos no dia 14 de outubro, depois de apresentarmos o filme no Festival de Cinema de Nova York. Não é nem que precisamos de uma estratégia específica para disputar o Oscar em outras categorias. O filme já está bem posicionado”, falou o cineasta.

Sobre a estratégia de produtores e distribuidores internacionais na campanha para a candidatura de Sônia Braga à estatueta de melhor atriz, Filho lembrou que o site “Screen Daily”, da revista “Screen International”, especializada em notícias da indústria cinematográfica, publicou no sábado uma reportagem apostando nas indicações para a categoria: Sonia Braga, Isabelle Huppert (por “Elle”), Natalie Portman (por “Jackie”), Ruth Negga (“Loving”) e Amy Adams (“Arrival”).

“Aquarius” foi recebido com aplausos nas sessões para jornalista e para o público esta semana no Canadá e em Braga, para uma plateia majoritariamente formada por brasileiros.

Na homenagem, Braga contou causos de quase meio século de carreira e se emocionou ao ver cenas de “Dona Flor e Seus Dois Maridos” (“É incrível ver José Wilker, um amigo querido que me influenciou muito na profissão e na vida, morto, porém vivo, na tela e, agora também, na realidade, porque ele segue vivinho, como Vadinho, em seus filmes”), “O Beijo da Mulher-Aranha” (“Raoul Julia, com quem fiz três filmes, era um homem maior do que a vida”) e “Rebelião em Milagro”, dirigido por Robert Redford (“Tinha vergonha de passar meu texto em inglês com colegas e interpretava para Casey, o cão de minha treinadora de sotaque”).

|