Com Ximenes e Brichta, romance “Um Homem Só” abrasileira clonagem humana

Clonagem sempre foi um tema que despertou curiosidade na roteirista e diretora Claudia Jouvin. "Tenho um recorte de jornal da ovelha Dolly até hoje. É assustador pensar que pode existir alguém igual a você", diz ela ao UOL. Tanto que levou o assunto para a comédia romântica "Um Homem Só", que chega aos cinemas nesta quinta-feira (29).

por

umhomemso_creditopapricafotografia_500741

Clonagem sempre foi um tema que despertou curiosidade na roteirista e diretora Claudia Jouvin. “Tenho um recorte de jornal da ovelha Dolly até hoje. É assustador pensar que pode existir alguém igual a você”, diz ela. Tanto que levou o assunto para a comédia romântica “Um Homem Só”, que chega aos cinemas nesta quinta-feira (29).

Primeiro filme de Jouvin (diretora e roteirista das séries “A Grande Família” e “A Diarista”, da Globo), a trama conta a história de Arnaldo (Vladimir Brichta), um homem infeliz com o casamento, que recorre a uma empresa de clonagem humana para se duplicar e deixar a cópia cuidando dos afazeres chatos da vida. Livre da obrigação com a mulher grávida, Aline (Ingrid Guimarães), ele começa a trabalhar em um cemitério de animais, onde se apaixona pela atrapalhada Josie (Mariana Ximenes).

Para tornar o filme mais verdadeiro, Jouvin diz que tentou abrasileirar a ficção científica. “Tem muitos filmes de duplos, mas no Brasil ainda não tinha sido feito. Eu tentei fazer com que ficasse uma coisa brasileira, ou as pessoas não iam comprar a história, não iam se emocionar”.

Apesar da atmosfera de ficção científica, “Um Homem Só” é um romance pop, que trata do amadurecimento, da busca de identidade e da solidão humana. “O filme foi uma maneira de estudar a cabeça masculina. Os homens sempre querem saber o que as mulheres pensam, será que eles sabem que nós também queremos entender o que passa na cabeça deles?”, questiona Claudia, filha do roteirista e cartunista Claudio Paiva, a quem ela chama de um dos homens fortes de sua vida.

Premiado em Gramado com três troféus (melhor fotografia para Adrian Treijido, melhor ator coadjuvante para Otávio Müller e melhor atriz para Ximenes), “Um Homem Só” conta com pequenas participações de atores consagrados em comédias brasileiras. Bem diferente dos papéis cômicos que costuma fazer, Ingrid Guimarães brilha na pele da amarga Aline, mulher de Arnaldo. Também estão no elenco Eliane Giardini, Milhem Cortaz, Aramis Trindade, Natalia Lage e Paulinho Serra.

Você também vai curtir