TOPO

“Não tem nada de desonesto”, diz Leo sobre crowdfunding para hamburgueria

por Redação / Publicado em sexta-feira, 26 ago 2016 11:35 AM / / 486 views
  • Carlos Reinis/Band
    "Não tem nada de desonesto", diz Leo sobre crowdfunding para hamburgueria
    Leonardo comemora vitória na terceira edição do “MasterChef Brasil”

    Criticado por começar uma campanha de financiamento coletivo para abrir uma hamburgueria, o empresário Leonardo Young, campeão da terceira temporada do “MasterChef, se defendeu das críticas que recebeu na internet.

“Minha consciência está tranquila. Não tem nada de desonesto, de picaretagem, em fazer crowdfunding. A gente não vai enriquecer com crowdfunding até porque precisa de muito mais investimento. Esse valor corresponde a um quarto, um quinto. Não se faz restaurante com R$ 200 mil”, disse Leo em entrevista.

Em sociedade com o blogueiro Zé Soares e com a empreendedora Bel Pesce, Leo quer criar uma hamburgueria chamada Zébeleo. Para realizar o projeto, eles lançaram nesta quinta-feira (25) uma campanha de financiamento coletivo na web pelo site Kickcante. Apoiadores do projeto podem fazer doações em dinheiro, que variam entre R$ 120 e R$ 10 mil, em troca de recompensas como bonés, camisetas, aulas de culinária e viagens gastronômicas. O objetivo é arrecadar R$ 200 mil. Até o fechamento desta matéria, o trio já tinha conseguido pouco mais que R$ 11 mil, ou seja 5% da meta.

Para Leo, a polêmica foi só um “mal-entendido”. “Foi uma falha de comunicação, as pessoas não entenderam direito a ideia. Não estamos fazendo vaquinha, estamos querendo tornar as pessoas participativas do projeto”, explicou.

O empresário também contou que não é a primeira experiência do trio com arrecadação de dinheiro na internet. “Financiamento coletivo é uma das modalidades que mais cresce no mundo só que nunca foi usada para restaurante. Nós queremos ser os primeiros. A Bel já financiou um livro dela com crowdfunding e não recebeu uma crítica, porque é uma causa nobre, é cultura. Agora com restaurante é um crime? É uma pena essa visão distorcida”, disse Leo.

Na web, o projeto foi criticado por visar lucros e também por ser idealizado por três pessoas bem-sucedidas.

“O conceito do projeto não tem nada a ver com a classe social dos indivíduos, tem uma questão tão incrível, da participação, tem recompensas bacanas. Sim, somos bem-sucedidos, mas uma coisa não tem relação com a outra. A gente quer muito mais fazer um case de sucesso do que ganhar dinheiro”, diz Leo.

O empresário também afirmou acreditar que a polêmica tornou proporções grandes por conta de sua recente vitória no “MasterChef”. Anunciado vencedor da terceira temporada, ele ganhou um prêmio de R$ 150 mil, um carro, e uma bolsa de estudos na escola de gastronomia Le Cordon Bleu. “É claro que isso dá pano para manga”, admitiu.

 

|

Comentários no Facebook