TOPO

Maria Casadevall explica por que não aceitou protagonista de “Sol Nascente”

por Redação / Publicado em segunda-feira, 08 ago 2016 15:33 PM / / 485 views
  • Edson Lopes Jr. /Popzone
    Maria Casadevall explica por que não aceitou protagonista de "Sol Nascente"
    Loira, Maria Casadevall integra o elenco de “Vade Retro”

     

Maria Casadevall já tem data para voltar ao ar, ela entra no nono episódio da série “Vade Retro”, que será protagonizada por Tony Ramos e Mônica Iozzi, que estreia no primeiro trimestre de 2017 na Globo. Para dar vida a Lilith na série, Maria abriu mão da protagonista Alice de “Sol Nascente”, próxima novela das 18h, que acabou nas mãos de Giovanna Antonelli.

“Quando você resolve se envolver em um trabalho ele tem que ter a ver com o que você esta pensando naquele momento, tem que ter algum desafio que você está buscando. Quando li o roteiro do ‘Vade Retro’, mesmo entrando no nono episódio, me apaixonei pelo que eu li, quis fazer parte daquilo. É uma questão de encontro mesmo, sabe? É uma participação forte, me apaixonei antes de chegar nas cenas da minha personagem”.

Diferente de tudo que ela já viu nas produções brasileira, Maria contou que a série tem um gênero que mistura terror e comédia.

“A gente chama de um terror comédia. Nunca vi nada similar na produção de série nacional, é a primeira vez que se aborda o terror e a comédia ao mesmo tempo”, disse ela. “Me lembra muito o ‘Penny Dreadful’, que é maravilhosa, mas lá é o terror de verdade, aqui a gente brinca com isso. Todos os personagens passeiam entre o mundo real e o mundo obscuro, então o pessoal vai ficar em dúvida se é um ser humano ou tem alguma ligação com o mal”.

Loira para o novo trabalho, Maria contou que ainda não começou a gravar, mas já sentiu o clima bacana entre os atores nos ensaios.

“Fiz esse cabelo, mas está na segunda etapa ainda, tem mais uma. A série é de poucos atores, tudo gira em torno de uma trama só, a minha personagem é a Lilith. Eles começaram a gravar, então já pegar o trem andando tem seu lado bom e ruim, o processo de ensaio foi muito unido, então pude acompanhar e ir matutando como eu entraria”.

|