Diretor de “Para Minha Amada Morta” retira filme da disputa ao Oscar

O diretor Ary Muritiba anunciou nesta sexta-feira (26) que também está retirando seu filme “Para Minha Amada Morta”  na disputa a uma indicação do Brasil ao Oscar de filme estrangeiro.

É o terceiro longa brasileiro a deixar a disputa nos últimos dois dias. Durante a semana, dois outros filmes elogiados pela crítica não estão mais participando do pleito, Boi Neon (de Gabriel Mascaro) e “Mãe Só Há Uma” (de Anna Muylaert).

A desistência é uma forma de protesto à comissão que escolherá o filme nacional para disputar uma vaga no prêmio da Academia. A polêmica teve início com mensagens que o crítico Marcos Petrucelli, integrante da comissão, divulgou em suas redes sociais ironizando o filme “Aquarius”, um dos fortes candidatos na disputa.

A nota de Ary Muritiba afirma que a equipe de “Para Minha Amada Morta” não reconhece “a legitimidade da comissão constituída pela SaV [Secretário de Audiovisual] para escolher o representante brasileiro na disputa do Oscar 2017, portanto, nos retiramos do pleito”.

por
RTEmagicC_pmam268.jpg

O diretor Ary Muritiba anunciou nesta sexta-feira (26) que também está retirando seu filme “Para Minha Amada Morta”  na disputa a uma indicação do Brasil ao Oscar de filme estrangeiro.

É o terceiro longa brasileiro a deixar a disputa nos últimos dois dias. Durante a semana, dois outros filmes elogiados pela crítica não estão mais participando do pleito, Boi Neon (de Gabriel Mascaro) e “Mãe Só Há Uma” (de Anna Muylaert).

A desistência é uma forma de protesto à comissão que escolherá o filme nacional para disputar uma vaga no prêmio da Academia. A polêmica teve início com mensagens que o crítico Marcos Petrucelli, integrante da comissão, divulgou em suas redes sociais ironizando o filme “Aquarius”, um dos fortes candidatos na disputa.

A nota de Ary Muritiba afirma que a equipe de “Para Minha Amada Morta” não reconhece “a legitimidade da comissão constituída pela SaV [Secretário de Audiovisual] para escolher o representante brasileiro na disputa do Oscar 2017, portanto, nos retiramos do pleito”.

“Em tempos de exceção, é preciso tomar posição clara”, completa a nota.

À “Folha”, o diretor de “Aquarius”, Kleber Mendonça Filho diz que manterá a inscrição do longa. “Tenho interesse em ver o processo se completar dentro das regras democráticas”, disse.

Você também vai curtir