“Carrossel 2” diverte com carisma de elenco apesar de roteiro nonsense

Imagine um grupo de adolescentes felizes passando por gincanas nas ruas de São Paulo, desde pelada e competição culinária até uma luta de sumô. Tudo para salvar uma colega sequestrada. O roteiro de "Carrossel 2" passa longe de ser verossímil, mas diverte ao investir mais na química dos adultos com os alunos da escola Mundial. 

por

mia-mello-e-rosanne-mulholland-falam-sobre-carrossel-2-1467805128569_300x300Imagine um grupo de adolescentes felizes passando por gincanas nas ruas de São Paulo, desde pelada e competição culinária até uma luta de sumô. Tudo para salvar uma colega sequestrada. O roteiro de “Carrossel 2” passa longe de ser verossímil, mas diverte ao investir mais na química dos adultos com os alunos da escola Mundial.

Em uma das cenas, as crianças são desafiadas a descobrirem uma loja de fantasias. E não é que elas acertam entre as milhares de opções espalhadas pela cidade? Logo depois, elas aparecem no local escolhido pelos sequestradores para a luta de sumô, mas ninguém sabe como. É esse tipo de cena nonsense que deve ser ignorada para a diversão fluir.

Gonzalez (Paulo Miklos) e Gonzalito (Oscar Filho) estão de volta como vilões, mas aparecem muito mais entrosados do que no primeiro filme e com um terceiro elemento que acrescenta graça às piadas: Maria Joaquina (Larissa Manoela), a aluna sequestrada pela dupla. No cativeiro, é ela quem tortura os ladrões por suas exigências.

Ao UOL, Oscar Filho disse que nos bastidores a coisa era bem diferente. “Em uma cena, tínhamos que enrola-la com uma corta. Fizemos essa cena umas sete vezes e ela não reclamou. Ela estava muito aberta ao que era melhor para a cena”, disse. “Ela fez toda a diferença na nossa química. O mais difícil era ter que aguentar a gente”, brincou Miklos.

Ausente no primeiro filme, a professora Helena (Rosanne Mulholland) também volta a liderar os aluno e leva para a trama sua melhor amiga, Didi Mel (Miá Mello). Rosanne conta que as duas tiveram apenas algumas horas de preparação para garantir o entrosamento, com Rosanne e as crianças, mas “não tive dificuldades porque estavam todos muito abertos”.

Com o mesmo carisma da novela e do primeiro filme, as crianças também voltam a brilhar no segundo filme. Com seu jeito esperto, Maísa é a própria Maísa no filme, apesar de seu personagem se chamar Valéria, e Cirilo (Jean Paulo Campos) ganha destaque ao não medir esforços para salvar sua amada Maria Joaquina.

A trilha sonora também promete colar. Depois da música chiclete “Panapaná” do primeiro filme, a nova aposta é “De Zero a Dez”, que combina melhor com os anos a mais do elenco.

Você também vai curtir