Autor de nova novela da Globo, Walther Negrão é hospitalizado em São Paulo

Greg Salibian/Folhapress Autor principal da novela "Sol Nascente", que substitui "Êta Mundo Bom" no segundo semestre na faixa das 18h, Walther Negrão está internado no Albert Einstein, em São Paulo. A assessoria de imprensa do hospital não foi autorizada a dar mais informações sobre o estado de saúde do escritor.

por
  • Greg Salibian/Folhapress

    Autor de nova novela da Globo, Walther Negrão é hospitalizado em São Paulo

Autor principal da novela “Sol Nascente”, que substitui “Êta Mundo Bom” no segundo semestre na faixa das 18h, Walther Negrão está internado no Albert Einstein, em São Paulo. A assessoria de imprensa do hospital não foi autorizada a dar mais informações sobre o estado de saúde do escritor.

Segundo o jornal “O Globo”, ele sofreu um AVC (Acidente Vascular Cerebral) há duas semanas enquanto estava com a família em sua fazenda no interior de São Paulo. No fim do ano passado, Negrão também ficou internado após ter um AVC.

Com estreia prevista para o final de agosto, “Sol Nascente” tem no elenco nomes como Bruno Gagliasso, Giovanna Antonelli, Rafael Cardoso e Laura Cardoso.

Carreira

Nascido em Avaré, no interior de São Paulo, Walther Negrão começou a carreira como autor em 1958, na TV Tupi, no programa “Grande Teatro Tupi”. Suas primeiras novelas, “Renúncia” (1964) e “Marcados pelo Amor e Banzo” (1964), foram escritas para a Record com textos adaptados de radionovelas.

Na Globo, Negrão estreou em 1969 como colaborador da novela “A Cabana do Pai Tomás”, inspirada no romance de Harriet Beecher Stowe. Ele, que tem mais de 20 novelas no currículo, teve seu primeiro folhetim original na emissora em 1970, com “A Próxima Atração”.

Após uma segunda passagem pela Record, retornou à Globo em 1972 – ano em que escreveu “O Primeiro Amor”, com Sérgio Cardoso e Rosamaria Murtinho, que em razão do grande sucesso deu origem ao seriado infantil “Shazan, Xerife & Cia”. Na década de 80, assinou novelas como “Pão-Pão, Beijo-Beijo” (1983), “Livre pra voar” (1984), “Direito de Amar” (1987) e “Fera Radical” (1988).

Nos anos 90, lançou sua primeira minissérie, “O Sorriso do Lagarto”, baseada na obra de João Ubaldo Ribeiro, e folhetins como “Tropicaliente” (1994), “Anjo de Mim” (1996) e “Era Uma Vez (1998). Suas últimas novelas, exibidas na faixa das 18h, foram “Como uma Onda” (2004), “Desejo Proibido” (2007),  “Araguaia” (2010) e “Flor do Caribe” (2013).

Você também vai curtir