“Masterchef” volta com candidatos mais preparados e terá duração de 5 meses

Felipe Pinheiro/UOLJurados do "Masterchef Brasil" e Ana Paula Padrão durante lançamento da nova temporada do programa

por
  • Felipe Pinheiro/Popzone

    "Masterchef" volta com candidatos mais preparados e terá duração de 5 mesesJurados do “Masterchef Brasil” e Ana Paula Padrão durante lançamento da nova temporada do programa

Palco de uma das competições da TV mais comentadas dos últimos tempos, o estúdio do “MasterChef Brasil” será ocupado, na terceira temporada, por participantes que viraram “experts” na disputa culinária. Depois de duas edições, o talent show da Band, que estreia na próxima terça (15), promete trazer 21 cozinheiros amadores tão habilidosos em colocar a mão na massa quanto prontos para jogar.

As novidades da nova temporada foram anunciadas nesta quarta-feira (9), nos estúdios da Band. Uma das provas será a “Ocupação MasterChef” no qual participantes vão ser responsáveis pela cozinha de um restaurante paulistano. Em outra, eles terão que cozinhar 200 refeições em uma unidade do Corpo de Bombeiros, e em uma escola de samba do Rio de Janeiro.

Serão 25 episódios na disputa pelo prêmio de R$ 150 mil, uma bolsa de estudos na escola de gastronomia Le Cordon Bleu, em Paris, e o troféu MasterChef. Os dois finalistas ganharão R$ 1 mil por mês durante um ano em compras em um supermercado.

Apresentadora da atração, Ana Paula Padrão diz ter observado que, depois de uma evolução no nível técnico dos participantes da primeira para a segunda temporada, os candidatos, que já iniciaram as gravações, estão mais maliciosos e encarando a disputa mais do que apenas uma briga por quem faz o melhor prato.

“A diferença para as duas outras edições é que eles [participantes] já vêm muito preparados como personagens e trazem uma estratégia muito elaborada e não são mais tão inocentes. Eles já viram as outras edições, entenderam que arriscar demais e ficar no topo é um fator que leva ao fracasso porque no dia em que se arrisca demais e erra, está fora. Eles já entenderam que ganha a competição quem está sempre no meio, quem tem um desempenho médio. Isso não é talento culinário, é estratégia. Essa edição é para os fortes”, afirmou.

A boa repercussão do programa, que consolidou o formato após a segunda edição, aumenta a expectativa para a próxima temporada. Diretor artístico da Band, Diego Guebel admite que a pressão é grande, mas se mostra otimista para o novo desafio.

“Agora, já trabalhamos com um time de pessoas que são como pilotos com experiência. E no caso dos participantes, são pessoas que não são mais inocentes. Não há necessidade de filtro, pelo contrário, é algo interessante”, avaliou Guebel.

Além da postura dos candidatos ao troféu MasterChef, que é para Padrão o grande diferencial desta edição, o programa terá novidades. “Temos um estúdio novo, reformado e com novas informações visuais. As provas estão mais audaciosas, e no nível culinário estão todos equilibrados. O que vai prevalecer é o jogo”, apostou a apresentadora.

Com 25 mil inscritos, o programa teve 75 participantes pré-selecionados. Desses, apenas uma parte conseguirá uma vaga na disputa. “Vamos ficando mais criteriosos e o que muda é o critério de avaliação. O melhor tem que ganhar. Não dá para deixar passar batido algumas situações. Vai pegar fogo!”, afirmou o chef jurado Henrique Fogaça.

Você também vai curtir