TOPO

Com orçamento de R$ 10, documentário “Bichas” nasceu após ameaça com arma

por Bibi Toledo / Publicado em sexta-feira, 26 fev 2016 10:35 AM / / 410 views
  • Reprodução/Facebook

    Com orçamento de R$ 10, documentário "Bichas" nasceu após ameaça com armaO publicitário pernambucano Marlon Parente, criador do documentário “Bichas”

“Atira, pode atirar. Mas vai ter bicha em todo lugar”. Recife, um grupo de amigos, dois deles de mãos dadas. Foi o suficiente para gerar a ira de um desconhecido. “Suas bichas, vou atirar em você”, ele ameaçou apontando uma arma. E da situação de desespero e impotência, nasceu a ideia de um documentário que empoderasse quem se encontra desprotegido.

O publicitário Marlon Parente idealizou “Bichas, o documentário” em cem dias. Juntou seis amigos com histórias e perfis diversos, pegou uma câmera emprestada e ouviu o que eles tinham a dizer. Gravou na luz natural por não ter equipamento e só investiu em um microfone, que custou R$ 10. Colhidos os depoimentos, editou todo o material sozinho.

“Eu tinha duas opções: deixar esse episódio tomar conta de mim e me corroer ou fazer algo para que eu pudesse superar”, conta Marlon em entrevista .

Como é publicitário, ele usou uma estratégia de soltar trechos curtos para promover o projeto. Desde o último sábado (20), “Bichas” está disponível completo e de graça no YouTube.

A grande sacada de Marlon foi desmistificar a palavra bicha e mostrar que ela pode ser um elogio no lugar de xingamento. Em três dias, seu primeiro documentário já tinha mais de 100 mil visualizações. Mais dois dias e o número dobrou. Até a tarde desta quinta (25), 205 mil já haviam acessado “Bichas” no YouTube.

O deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ) compartilhou “Bichas” em sua página do Facebook, que conta com quase 900 mil seguidores. “O documentário cumpre a tática de se apropriar do insulto e de esvaziá-lo de seu sentido negativo e preenchê-lo com um significado de afirmação da diferença. Eu sou Jean Wyllys, tenho 41 anos e também sou bicha!”, escreveu.

Luciana Genro, que foi candidata à Presidência da República em 2014, também recomendou “Bichas” para seus quase 500 mil seguidores no Facebook. “Excelente e emocionante documentário que empodera as bichas!”, elogiou. Fora do meio político, também tiveram recomendações da banda UÓ e de atrizes globais, segundo o diretor.

Tanta repercussão já rendeu um convite para Marlon exibir “Bichas” no festival de cinema O Cubo, no Rio de Janeiro. O pernambucano diz não ter investido dinheiro na divulgação e garante que tudo o que aconteceu até agora foi espontâneo e orgânico. “Estou bem ansioso pra conhecer o que os cariocas têm pra dizer sobre as minhas bichas”.

Reprodução/YouTube

Com orçamento de R$ 10, documentário "Bichas" nasceu após ameaça com arma

Os seis personagens do documentário “Bichas”, de Marlon Parente

O diretor e os personagens do filme têm recebido depoimentos de pessoas que se identificam com as histórias. Marlon se diz impressionado com o efeito de 39 minutos de vídeo sobre as pessoas. Jovens estão botando o filme na sala de casa para se assumir para os pais. “A ideia era gerar identificação e mostrar para as pessoas que tudo se resolvia quando se tem coragem e amor. “Ser bicha é mais do que se assumir, é um ato político”.

O trabalho que surgiu do preconceito e da intolerância deve agora render mais frutos para Marlon Parente, que pretende seguir filmando sobre o tema. “É muita bicha, é muita sapatão e é muita gente que não é nem um nem outro, mas que procuram entender e respeitar esses citados. Tá tudo muito lindo”, conclui.

 

|