Fernanda Montenegro diz que preconceitos estão saindo do armário

Aos 86 anos,  Fernanda Montenegro enxerga os preconceitos da sociedade atual como um mal que estava guardado e que precisa ser combatido. A atriz,  que recentemente viveu Teresa,  uma personagem gay em "Babilônia",  sentiu na pele que muitas pessoas ainda não aceitam naturalmente as relações homoafetivas.

"O que está acontecendo é que todo mundo está saindo dos armários,  não são  só os gays que estão saindo.  Eu acho que todos os preconceitos estão saindo do armário. É como uma doença que a gente achava que tinha sido vencida, mas de repente você vê que o preconceito sexual,  o preconceito de cor, com a mulher,  todos ainda existem.", opinou a atriz,  que esteve nesta terça-feira (1) no Prêmio Cariocas do Ano, no Copacabana Palace,  Rio de Janeiro.

A homofobia e os ataques racistas  recorrentes na Internet,  que ganharam mais destaques principalmente ao envolverem pessoas famosas,  como os casos recentes com Taís Araújo e Cris Vianna,  são  vistos pela veterana como o lado negativo do mundo virtual.

"É ruim saber que existe esse tipo de atuação preconceituosa, mas é melhor que ela seja exposta e que a gente combata do que viver no armário e surgir a qualquer momento".

Em 2016,  Fernanda quer se dedicar ao teatro com a peça "Viver Sem Tempos Mortos" e ainda não tem planos para a televisão.  A atriz nega que tenha sido chamada para "Velho Chico",  a próxima novela das nove.

"Não aconteceu nenhum convite.  Eu acabei de fazer uma novela,  não fui chamada para ‘Velho Chico’.  Uma novela bem feita ela é trabalhosa e cansativa de fazer.  No próximo ano vou fazer teatro. Teatro é a minha vida",  conta.

por

fernandaAos 86 anos,  Fernanda Montenegro enxerga os preconceitos da sociedade atual como um mal que estava guardado e que precisa ser combatido. A atriz,  que recentemente viveu Teresa,  uma personagem gay em “Babilônia”,  sentiu na pele que muitas pessoas ainda não aceitam naturalmente as relações homoafetivas.

“O que está acontecendo é que todo mundo está saindo dos armários,  não são  só os gays que estão saindo.  Eu acho que todos os preconceitos estão saindo do armário. É como uma doença que a gente achava que tinha sido vencida, mas de repente você vê que o preconceito sexual,  o preconceito de cor, com a mulher,  todos ainda existem.”, opinou a atriz,  que esteve nesta terça-feira (1) no Prêmio Cariocas do Ano, no Copacabana Palace,  Rio de Janeiro.

A homofobia e os ataques racistas  recorrentes na Internet,  que ganharam mais destaques principalmente ao envolverem pessoas famosas,  como os casos recentes com Taís Araújo e Cris Vianna,  são  vistos pela veterana como o lado negativo do mundo virtual.

“É ruim saber que existe esse tipo de atuação preconceituosa, mas é melhor que ela seja exposta e que a gente combata do que viver no armário e surgir a qualquer momento”.

Em 2016,  Fernanda quer se dedicar ao teatro com a peça “Viver Sem Tempos Mortos” e ainda não tem planos para a televisão.  A atriz nega que tenha sido chamada para “Velho Chico”,  a próxima novela das nove.

“Não aconteceu nenhum convite.  Eu acabei de fazer uma novela,  não fui chamada para ‘Velho Chico’.  Uma novela bem feita ela é trabalhosa e cansativa de fazer.  No próximo ano vou fazer teatro. Teatro é a minha vida”,  conta.

Você também vai curtir