Caso de Cris Vianna é registrado na delegacia como injúria por preconceito

Alex Palarea/AgNewsA atriz Cris Vianna Após sofrer ataques racistas em sua página do Facebook, o caso de Cris Vianna foi registrado, nesta terça-feira (1), na Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI), no Rio de Janeiro, como injúria por preconceito.

De acordo com a assessoria da atriz, ela agora aguarda ser chamada para depor.

Indignada, Cris escreveu um desabafo nas suas redes sociais, na segunda-feira, e lembrou casos recentes que aconteceram este ano com a jornalista Maria Júlia Coutinho e há um mês como a atriz Taís Araújo, que foi "covardemente atacada" por racistas escondidos sob o pretenso anonimato da internet.

"Não posso me calar. Se meu trabalho me permite alguma expressividade, usarei minha voz por muitos que sofrem esse tipo de ataque racista diariamente e voltam para casa calados, cansados de não serem ouvidos, para chorar sozinhos. Como todos vocês, tenho orgulho da minha pele, do meu cabelo, da minha origem e de tudo o que sou. Do que somos. E não estamos sozinhos. Temos do nosso lado a lei – racismo é crime inafiançável – e milhares de brasileiros que também acreditam num país mais justo e civilizado, gente que entende que respeitar as diferenças é mais que um dever e que está disposta a denunciar e lutar contra todo tipo de preconceito", desabafou.

A atriz disse ainda que sente um encantamento profundo por essa mistura de cores que embeleza o Brasil e faz os brasileiros todos "sermos o que somos".

"A vergonha e a tristeza que sinto hoje são por essas pessoas pequenas, pobres de espírito e de coração vazio, que, em 2015, ainda insistem em reproduzir pensamentos há muito ultrapassados e desde sempre absurdos. São covardes com mentes limitadas, incapazes de enxergar e aceitar que somos todos, com as nossas diferenças e peculiaridades, dignos do mesmo respeito. A essa minoria cega e burra, minha pena", concluiu.

por
  • Alex Palarea/AgNews

    Caso de Cris Vianna é registrado na delegacia como injúria por preconceitoA atriz Cris Vianna

Após sofrer ataques racistas em sua página do Facebook, o caso de Cris Vianna foi registrado, nesta terça-feira (1), na Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI), no Rio de Janeiro, como injúria por preconceito.

De acordo com a assessoria da atriz, ela agora aguarda ser chamada para depor.

Indignada, Cris escreveu um desabafo nas suas redes sociais, na segunda-feira, e lembrou casos recentes que aconteceram este ano com a jornalista Maria Júlia Coutinho e há um mês como a atriz Taís Araújo, que foi “covardemente atacada” por racistas escondidos sob o pretenso anonimato da internet.

“Não posso me calar. Se meu trabalho me permite alguma expressividade, usarei minha voz por muitos que sofrem esse tipo de ataque racista diariamente e voltam para casa calados, cansados de não serem ouvidos, para chorar sozinhos. Como todos vocês, tenho orgulho da minha pele, do meu cabelo, da minha origem e de tudo o que sou. Do que somos. E não estamos sozinhos. Temos do nosso lado a lei – racismo é crime inafiançável – e milhares de brasileiros que também acreditam num país mais justo e civilizado, gente que entende que respeitar as diferenças é mais que um dever e que está disposta a denunciar e lutar contra todo tipo de preconceito”, desabafou.

A atriz disse ainda que sente um encantamento profundo por essa mistura de cores que embeleza o Brasil e faz os brasileiros todos “sermos o que somos”.

“A vergonha e a tristeza que sinto hoje são por essas pessoas pequenas, pobres de espírito e de coração vazio, que, em 2015, ainda insistem em reproduzir pensamentos há muito ultrapassados e desde sempre absurdos. São covardes com mentes limitadas, incapazes de enxergar e aceitar que somos todos, com as nossas diferenças e peculiaridades, dignos do mesmo respeito. A essa minoria cega e burra, minha pena”, concluiu.