Sérgio Machado e Marina Person são premiados na Mostra de São Paulo

Aline Arruda/Agência FotoA cineasta Marina Person foi uma das vencedoras da 39ª Mostra de São Paulo

por
  • Aline Arruda/Agência Foto

    Mostra de São Paulo 2015A cineasta Marina Person foi uma das vencedoras da 39ª Mostra de São Paulo

Depois de mais de 300 filmes em 15 dias de exibição, a 39ª Mostra de São Paulo anunciou seus vencedores nesta quarta-feira (4). Em cerimônia de prêmios divididos, o filme “Pardais” foi o único que venceu em duas categorias.

Os brasileiros Sérgio Machado e Marina Person também saíram premiados. No palco, os dois diretores falaram, em momentos diferentes, que a Mostra contribuiu para a formação deles. “Quando estudava cinema chegava a ver quatro filmes por dia”, disse Sérgio Machado, de “Tudo que Aprendemos Juntos”.

No filme de Sérgio, um professor de violino, vivido por Lázaro Ramos, passa a ensinar música clássica a jovens de Heliópolis. Já em “Califórnia”, de Marina Person, uma jovem de 15 anos lida com a adolescência e a chegada da Aids no Brasil, nos anos 80.

O primeiro prêmio da noite foi concedido pela Associação Brasileira de Críticos de Cinema (Abraccine) e foi para “Aspirantes”, de Ives Rosenfeld.

Este ano, a produtora RT Features premiou com R$ 50 mil os vencedores da categoria do público de melhor documentário e melhor longa de ficção nacionais: “Monstros do Ringue” e “Tudo que Aprendemos Juntos”, de Sérgio Machado.

Veja a lista de vencedores:

Abraccine – “Aspirantes” – Ives Rosenfeld

Prêmio de Crítica – “Os Campos Voltarão”

Prêmio autores de cinema – “Pardais”

Prêmio da Juventude (longa internacional) – “Beatles”, de Peter Flinth

Prêmio da Juventude (longa brasileiro) – “Califórnia”, de Marina Person.

Premio do público (documentário internacional) – “Pixadores” de Amir Escandari

Prêmio do público (melhor ficção internacional) “Sabor da Vida”, de Naomi Kawase.

Premio do público (melhor documentário nacional): “Monstros do Ringue”

Premio do Público (melhor longa de ficção nacional) “Tudo que Aprendemos Juntos”, de Sergio Machado.

Prêmio do Júri (novos diretores) – “Carta Branca”, Jacek Lusinski (menção honrosa).