TOPO

“O negro brasileiro sofre preconceito diariamente”, diz Taís Araújo

por Redação / Publicado em domingo, 08 nov 2015 13:35 PM / / 553 views
  • Reprodução

    "O negro brasileiro sofre preconceito diariamente", diz Taís AraújoTaís Araújo falou sobre atitudes de preconceito racial que sofreu durante a vida

Taís Araújo falou sobre atitudes de preconceito racial que sofreu durante a vida e afirmou que o negro brasileiro passa por isso diariamente em entrevista ao programa “Altas Horas”, exibido na madrugada deste sábado (7).

A atriz e mulher do ator Lázaro Ramos foi vítima de várias ofensas racistas por meio de comentários postados em sua página no Facebook, no sábado (31/10), e recebeu xingamentos como “macaca”, “crioula” e “cabelo de esfregão”. Ela não citou esse caso específico porque a gravação do “Altas Horas”, possivelmente, pode ter sido realizada antes da data.

“Muitos [momentos de preconceito] durante a vida. Acho que o negro brasileiro passa por isso diariamente”, disse ela durante entrevista “Altas Horas”, da Globo, ao responder uma pergunta de Serginho Groismann, se já havia sofrido algum ato racista. “A gente passa a vida toda. Eu passo por isso até hoje. Qualquer coisa que eu fizer e não gostarem, vão falar ‘olha aquela neguinha metida, aquela neguinha’. É dessa maneira que vão abordar. Então, preste atenção da maneira como você age porque você pode ser preso, e não tem como pagar para sair”, alertou.

“Ontem mesmo eu lembrei de uma história: eu estava no CA, aprendendo a ler. Eu sempre estudei em escolas particulares e tradicionais, e aí um menino me perguntou se quem pagava a minha escola era a patroa da minha mãe. Eu fiquei muito revoltada. cheguei em casa, peguei as joias da minha mãe, fui para a escola e bati na cara do garoto ‘olha, aqui, quem paga’. E a minha mãe foi chamada na escola porque eu teria agredido o coleguinha. Isso tem mais de 20 anos e eu estou com 36. Hoje, as escolas não estão muito preparadas, mas estão muito mais do que eram. Olha o absurdo: a minha mãe foi chamada porque eu teria agredido o coleguinha. A mãe do coleguinha sequer ficou sabendo que ele teve uma atitude preconceituosa comigo”, relatou Taís.

No Instagram e no Facebook, Taís publicou um texto em que desabafa sobre o ocorrido. “É muito chato, em 2015, ainda ter que falar sobre isso, mas não podemos nos calar: na última noite, recebi uma série de ataques racistas na minha página”, escreveu ela. (Leia o desabafo, na íntegra, abaixo)

Sem entrar em muitos detalhes, Taís disse que todos os comentários foram registrados e seriam enviados à Polícia Federal. Segundo a atriz, o ataque ocorreu no momento em que ela estava no palco do Teatro Faap, em São Paulo, encenando “O Topo da Montanha”, texto em que Martin Luther King fala sobre afeto, tolerância e igualdade.

Taís finalizou o texto com uma mensagem de incentivo. “Não se cale, mostre que você não tem vergonha de ser o que é e continue incomodando os covardes. Só assim vamos construir um Brasil mais civilizado”.

A atriz foi até Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI), no Rio de Janeiro, prestou depoimento sobre o caso na quarta-feira. De acordo com a Polícia Civil, um inquérito foi instaurado, as investigações estão em andamento e os autores estão sendo identificados e serão intimados para depor.

Segundo a agência Estadão Conteúdo, a Polícia Civil do Rio vai pedir à Justiça a quebra do sigilo de cerca de 30 perfis do Facebook para tentar identificar os autores dos ataques.

|

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *