Lúcio Mauro Filho aposta em volta da “Escolinha”: “Me coloco à disposição”

Lúcio Mauro Filho voltou à TV na nova versão da "Escolinha do Professor Raimundo", que estreou no Viva na última segunda-feira (23), em comemoração aos 25 anos do programa. No papel de Ademar Vigário, que foi de seu pai, o ator diz ter ficado emocionado com a boa repercussão do programa entre crítica e público e aposta que ela abrirá portas para mais temporadas do humorístico.
 
"Foi um projeto que deixou todos muito mexidos e emocionados, antes da repercussão, e agora com essa repercussão nós estamos tocados e realmente desconfiados de que vem mais por aí, porque é o que as pessoas têm pedido. É a voz das ruas", afirmou o ator ao UOL.
 
Com vontade de dar continuidade ao projeto – "já me coloco à disposição", disse ele – Lúcio Mauro acredita que a "Escolinha" pode suprir um vácuo no humor da TV brasileira. "Acho que o humor de bordão está carente depois dessa reformulação do ‘Zorra’, que foi maravilhosa, mas o público que adora esse humor de bordão acho que ficou meio órfão. E produto melhor para substituir do que a ‘Escolinha’ é impossível. Realmente acredito que é um projeto com força para outras temporadas e torço para que isso aconteça."
 
Para o ator, a nova "Escolinha" tem tanto fôlego para ficar no ar quanto a original, que chegou ao fim em 2001, e ainda tem vários personagens a explorar. "A gente não fez nem metade dos personagens, tem campo ainda pra muita gente entrar, muita gente boa, e até para fazer um revezamento das estrelas da casa dentro dessa história que se  comunica tanto através dos tempos."
 
Lúcio Mauro ainda destacou que a boa recepção do público veio mesmo com a "Escolinha" original sendo exibida no Viva desde 2010, o que poderia resultar em comparações negativas. "Quando a gente estreou ‘A Grande Família’, quem comparava a gente com a versão anterior eram os saudosistas com mais de 50 anos. No caso da ‘Escolinha’ não, até as crianças assistem. Então a comparação poderia ser muito mais cruel, mas como o projeto é carregado de afetividade e um elenco espetacular, deu no que deu, essa coisa gostosa de ver e de fazer."

por

lucio mauro

Lúcio Mauro Filho voltou à TV na nova versão da “Escolinha do Professor Raimundo”, que estreou no Viva na última segunda-feira (23), em comemoração aos 25 anos do programa. No papel de Ademar Vigário, que foi de seu pai, o ator diz ter ficado emocionado com a boa repercussão do programa entre crítica e público e aposta que ela abrirá portas para mais temporadas do humorístico.

“Foi um projeto que deixou todos muito mexidos e emocionados, antes da repercussão, e agora com essa repercussão nós estamos tocados e realmente desconfiados de que vem mais por aí, porque é o que as pessoas têm pedido. É a voz das ruas”, afirmou o ator .

Com vontade de dar continuidade ao projeto – “já me coloco à disposição”, disse ele – Lúcio Mauro acredita que a “Escolinha” pode suprir um vácuo no humor da TV brasileira. “Acho que o humor de bordão está carente depois dessa reformulação do ‘Zorra’, que foi maravilhosa, mas o público que adora esse humor de bordão acho que ficou meio órfão. E produto melhor para substituir do que a ‘Escolinha’ é impossível. Realmente acredito que é um projeto com força para outras temporadas e torço para que isso aconteça.”

Para o ator, a nova “Escolinha” tem tanto fôlego para ficar no ar quanto a original, que chegou ao fim em 2001, e ainda tem vários personagens a explorar. “A gente não fez nem metade dos personagens, tem campo ainda pra muita gente entrar, muita gente boa, e até para fazer um revezamento das estrelas da casa dentro dessa história que se  comunica tanto através dos tempos.”

Lúcio Mauro ainda destacou que a boa recepção do público veio mesmo com a “Escolinha” original sendo exibida no Viva desde 2010, o que poderia resultar em comparações negativas. “Quando a gente estreou ‘A Grande Família’, quem comparava a gente com a versão anterior eram os saudosistas com mais de 50 anos. No caso da ‘Escolinha’ não, até as crianças assistem. Então a comparação poderia ser muito mais cruel, mas como o projeto é carregado de afetividade e um elenco espetacular, deu no que deu, essa coisa gostosa de ver e de fazer.”

O Viva exibe cinco episódios do programa e a Globo transmitirá aos domingos de dezembro o especial completo, com mais dois episódios inéditos.

Você também vai curtir