“Estou tão anestesiado que ainda nem chorei”, diz Mazzeo sobre “Escolinha”

O especial "Escolinha do Professor Raimundo" estreia em dezembro na Globo com setes episódios que vão ao ar aos domingos e mantém inspiração no cenário original, mas aborda temas atuais. Antes disso, o Canal Viva exibe cinco episódios a partir do dia 23 de novembro. 

por

bruno mazzewoO especial “Escolinha do Professor Raimundo” estreia em dezembro na Globo com setes episódios que vão ao ar aos domingos e mantém inspiração no cenário original, mas aborda temas atuais. Antes disso, o Canal Viva exibe cinco episódios a partir do dia 23 de novembro.

No elenco, Bruno Mazzeo assume o lugar do seu pai, Chico Anysio, de professor Raimundo. Marcius Melhem vira Seu Boneco, Marcos Caruso é Seu Boneco, Fabiana Karla faz a Cacilda e Otaviano Costa, o Ptolomeu.
“Quando recebi o convite estava dentro da água em Boipebá, na Bahia.  Num primeiro momento eu não queria mexer no que está quieto. Mas aí, depois de conversa com amigos eu mudei de ideia. Estou passando por experiências muito diferentes, que misturam tantas sensações.  Estou tão anestesiado que ainda nem chorei”, disse Mazzeo.
Se o ator ainda não chorou, o mesmo não aconteceu com o elenco.  Muitos atores confessaram, durante a coletiva de imprensa do especial, que aconteceu nesta quarta-feira (28) no Projac que não se seguraram ao ver Mazzeo caracterizado. Marcos Caruso, que interpreta o Seu Peru, descreveu com emoção a sensação que o grupo tem ao gravar o programa.
“Todos nós somos Raimundianos. O Chico Anysio garimpou esses personagens no Brasil todo. Nós ao homenageramos esse Raimundo estamos usando as ferramentas de atores com uma coisa a mais que é a saudade de nós não termos mais o Chico no comando”.
Os bastidores do programa é uma verdadeira bagunça de sala de aula.  Os atores jogam bolinhas de papel um nos outros e dão risadas dos seus improvisos em cena. “Eu lembro de algumas coisas que eu pulei,  aí eu jogo lá pra frente,  é uma maravilha”,  entrega Lúcio Mauro Filho,  que interpreta Aldemar Vigário em homenagem ao seu pai Lúcio Mauro,  que fez sucesso com o personagem.
Dani Calabresa e Marcelo Adnet são Catifunda e Rolando Lero.  No intervalo, a humorista aproveita para bater o texto com o marido. “Ainda bem que a Globo me contratou esse ano.  Não ia aguentar assistir a ‘Escolinha’ de casa no sofá. Fiquei mais feliz porque o personagem que eu mais gostava era o Rolando Lero e chamaram o meu bofe para fazer”,  vibrou.
O programa tem direção de Cininha de Paula.

Você também vai curtir