TOPO

Sérgio Marone teve que gravar com rãs e sapos para a segunda praga do Egito na novela “Os Dez Mandamentos”

por Redação / Publicado em quinta-feira, 03 set 2015 21:15 PM / / 366 views

Os Dez Mandamentos

 

Depois de o rio virar sangue, rãs e sapos vão atormentar o Egito na novela “Os Dez Mandamentos”, da Record. A segunda praga que atinge o povo egípicio vai ao ar na próxima terça-feira (8) e o ator Sérgio Marone contou detalhes das gravações com os anfíbios. “Foi bem mais tranquilo do que eu imaginava. Não senti nervoso e nem aflição. Fiquei mesmo preocupado com uma das rãs porque eu tinha que tirá-la do corpo com um tapa e pesei na mão. Quase machuquei o bicho! Na segunda tomada da cena, peguei mais leve e deu tudo certo”, explicou.

Intérprete do Faraó Ramsés, maior culpado pelas pragas por ter desafiado o poder de Deus, Sérgio entregou que a maioria das cenas das maldições já foram gravadas e que elas deram mais trabalho para os atores. “Teremos as invasões dos mosquitos e das moscas, e as chuvas de pedras e gafanhotos e como essas são feitas através de efeitos visuais, o complicado é imaginar a situação, fazer cara de pavor sem ficar caricato. Eu não vi, mas já soube que as cenas ficaram incríveis”, comentou.

Sobre o recorde de audiência da trama de Vivian de Oliveira batido no último dia 31, Sérgio confirmou a comemoração tímida do elenco. “Ficamos felizes e nos cumprimentamos pelo nosso grupo de Whatsapp. Não teve festa por falta de tempo, já que estamos gravando muito nessa reta final. É um momento mágico de “Os Dez Mandamentos”, mas quando a novela acabar, e torcemos que seja de uma forma bem bacana, todos nós vamos comemorar essa produção”, disse o ator que na próxima semana já grava as últimas cenas da travessia do Mar Vermelho.

“Gravamos duas vezes e essa será a última. São externas duras e difíceis porque gravamos em uma fazenda lá em Santa Cruz ( Zona Oeste do Rio de Janeiro). Um lugar inóspito e com muita lama por todo o terreno. Têm mais de 300 pessoas envolvidos nas cenas que são gravadas durante o dia e na madrugada. É complicado e é cansativo demais”, finalizou Sérgio Marone.

|

Comentários no Facebook