“Beijei Xuxa de língua em ‘Lua de Cristal’ e ela não gostou”, diz Mallandro

Divulgação Uma entrada triunfal, digna de príncipe, é como Sérgio Mallandro espera que seja a sua chegada no programa de Xuxa Meneghel desta segunda-feira (28) na Record. Vinte e cinco anos depois de contracenar com Xuxa em "Lua de Cristal", ele vai chegar ao palco montado em um cavalo branco, segundo o site oficial da atração.

por

"Beijei Xuxa de língua em 'Lua de Cristal' e ela não gostou", diz Mallandro

Uma entrada triunfal, digna de príncipe, é como Sérgio Mallandro espera que seja a sua chegada no programa de Xuxa Meneghel desta segunda-feira (28) na Record. Vinte e cinco anos depois de contracenar com Xuxa em “Lua de Cristal”, ele vai chegar ao palco montado em um cavalo branco, segundo o site oficial da atração.

“Eu tenho um amor muito grande pela Xuxa e vai ser um reencontro histórico porque nunca mais nos encontramos no palco. Realmente estou muito ansioso, com muita vontade de abraçá-la”, disse Mallandro ao Popzone.
As carreiras de Xuxa e Mallandro se cruzaram em várias oportunidades. O apresentador e humorista, que se gaba de conhecer a loira muito antes de ela se tornar a Rainha dos Baixinhos, chegou a substituir a amiga no “Xou da Xuxa”, na Globo, durante as férias dela e também fez a seu lado, por exemplo, o quadro “Paradão dos Baixinhos” no final da década de 1980.
O par acabou se distanciando profissionalmente com a saída de Mallandro da Globo, mas antes disso emplacou a parceria em “Lua de Cristal”, lembrada até hoje com saudosismo pelos fãs.
“Uma das coisas mais marcantes do filme foi quando a Xuxa me falou ‘Vou fazer uma surpresa que você vai adorar: em toda portaria do cinema vai estar o nome o filme, que será Xuxa e Sérgio Mallandro na Lua de Cristal. Você já viu um nome de filme tão longo assim? Foi um presente ela colocar o meu nome”, disse.
Única produção com os dois juntos levada aos cinemas, “Lua de Cristal” conta a história da jovem Maria das Graças que vive um amor de conto de fadas com um rapaz desajeitado que trabalha como funcionário de uma lanchonete. Mallandro se recorda que não levava muito jeito para atuação e por isso levava  broncas no set da diretora Tizuka Yamasaki. Entre as lembranças, diz que tirou a Xuxa do sério na cena em que seu personagem a derperta com um beijo.
“Eu fui dar um beijo e meti a língua. A Xuxa não gostou. Ficou puta, falou pra mim ‘O que é isso, cara?’. Beijo para mim tem que ser de língua. Como vou ressuscitar uma pessoa só com selinho? A diretora falou ‘Beija mesmo, mas tem que ser beijo técnico’. Foi muito engraçado”, lembrou.
O romance nunca saiu da ficção para a realidade, mas não por falta de vontade de Mallandro. Com o jeito jocoso que marcou o seu estilo em meados da década de 80, o apresentador intercala declarações de amor com elogios e só adota um tom menos brincalhão quando questionado a falar sério sobre o que sente por sua musa número um: “Eu sempre fui apaixonado pela Xuxa, mas ela nunca correspondeu. Nunca tive essa sorte”. Em seguida, volta a fazer graça: “É amor platônico, eu olho para ela e ela olha para o céu. Quando eu conheci me apaixonei, quem não se apaixona por aqueles olhos azuis e o cabelo loiro? Eu olhei pra ela e falei ‘glu glu’. Ela olhou e falou ‘ié ié’. Ai eu fiz ‘rááá’ e ela falou, pegadinha da Xuxa e saiu andando (risos)”.
“A Xuxa sempre fez topless”
Mallandro tem um afeto por Xuxa tão antigo quanto o dia em que eles se viram pela primeira vez. Ela tinha 17 anos e dava seus primeiros passos como modelo. “Eu a conheci quando ela ganhou o Miss Objetivo do Fluminense. A minha namorada ficou em segundo e ela ficou em primeiro”, conta.
Depois do concurso, o humorista levou Xuxa para a primeira participação dela em um programa de TV. “Eu tinha que ir no Cidade contra Cidade, do Silvio Santos, para levar uma loira representando o Rio, uma morena e uma mulata. A mulata era a atriz Solange Couto, que na época era um fenômeno. A minha namorada foi de morena e a Xuxa era a loira”, diz. “Quando a conheci, falei: ‘Se eu virar artista, primeiro vou te levar para ser artista comigo’. E ela falou a mesma coisa para mim. Daí eu levei ela no Cidade Contra Cidade”, completa.
A amizade cresceu e os dois passaram a conviver, com direito a visitas de Mallandro na casa de Xuxa em Marechal Hermes, na Baixa Fluminense, passeios de moto e idas à praia. “Eu ia para Coroa Grande [em Itaguaí, no Rio de Janeiro] com a Luiza Brunet e com a Xuxa. Chegava lá e ela ficava deitada na praia deserta, fazia topless. A Xuxa sempre fez topless. Era uma coisa natural dela, e não por maldade. Ela não tinha vergonha de ninguém. Era como se tivesse sido criada na Europa, uma coisa natural”, afirma.
A atração provocada nos homens era talvez tão natural como a desenvoltura para fazer topless na praia. Mallando diz que muitos se confundiam com o carisma dela. “Eu andava com ela na rua e os caras ficavam a fim porque ela sempre foi muito comunicativ . As pessoas confundiam. Uma loira linda daquela, de olhos azuis, rir, brincar, abraçar, sentar no colo… Ela sempre foi muito jogada. Ela te conhece e daqui a pouco está te fazendo cafuné e você acha que ela está a fim de você”.

Você também vai curtir