Vencedor do Oscar, diretor de “Crash” diz que não teria votado no filme

Getty ImagesO diretor Paul Haggis posa com dois seus dois Oscars vencidos por "Crash", em 2006

por

Vencedor do Oscar, diretor de "Crash" diz que não teria votado no filme

O diretor Paul Haggis posa com dois seus dois Oscars vencidos por “Crash”, em 2006

O diretor do longa “Crash”, Paul Haggis, surpreendeu ao afirmar que não teria dado a seu filme o Oscar de melhor longa em 2006. Considerada azarão na disputa, a produção bateu os filmes “Capote”, “O Segredo de Brokeback Mountain”, “Boa Noite e Boa Sorte” e “Munique”, o que gerou na época uma enxurrada de críticas à decisão da Academia.

Estrelada por Sandra Bullock, Brendan Fraser e Matt Dillon, a trama focada no debate do preconceito levou também as estatuetas de melhor roteiro original e melhor edição. “Era o melhor filme do ano? Eu acho que não”, admitiu Haggis em entrevista ao site “HitFix” publicada nesta terça (11).

“‘Crash’, por alguma razão, tocou as pessoas. E você não pode julgar filmes assim. Estou muito feliz por ter esses Oscars. São coisas encantadoras. Mas você não deve me perguntar qual era o melhor filme daquele ano, porque eu não votaria em ‘Crash’, apenas porque vi o teor artístico presente nos outros filmes.”

Apesar de relativizar o sucesso e a qualidade de “Crash”, Higgs afirma que a história cumpriu sua missão social. “E eu estou muito orgulhoso de ‘Crash’ ter tocado o público. As pessoas ainda vêm até mim para dizer que o filme mudou sua vida. Ouvi isso dezenas de vezes. Eu sabia que era o experimento social que eu buscava, e é um experimento muito bom. É um grande filme? Eu não sei.”

Na entrevista, o cineasta ainda comentou sobre críticas de o filme reforçar versões deturpadas do comportamento de estrangeiros. “Decidi no início apresentar por 30 minutos esses estereótipos. E os reforcei para, depois, reapresentá-los de forma que você se sentisse confortável”, justificou. “À medida que isso acontecia, eu pude aos poucos fazer você mudar de opinião até sair do cinema. Essa era a intenção.”