“Não preciso parecer um vaqueiro”, diz Justus sobre figurino de “A Fazenda”

Reprodução/Instagram/robertoljustusRoberto Justus segura cobra na gravação de seu talk show na Record. Apresentador quer que o público conheça seu lado descontraído em "A Fazenda 8"

por
  • Reprodução/Instagram/robertoljustus

    "Não preciso parecer um vaqueiro", diz Justus sobre figurino de "A Fazenda"

    Roberto Justus segura cobra na gravação de seu talk show na Record. Apresentador quer que o público conheça seu lado descontraído em “A Fazenda 8”

Depois de demitir seus pupilos sem piedade nas oito edições que comandou de “O Aprendiz”, Roberto Justus promete mudar o tom como sucessor de Britto Jr. na apresentação de “A Fazenda 8”, que tem estreia prevista para o dia 23 de setembro na tela da Record. Não menos temível do que o magnata Donald Trump, que se consagrou na edição norte-americana do reality de negócios como o carrasco que elevava ao máximo a pressão dos participantes na famosa sala de reunião, Justus pretende – para alívio dos peões – se mostrar em uma versão mais light.

O empresário diz que exagerou propositalmente ao apresentar “O Aprendiz” e que toda rigidez fazia parte do show. “É verdade que sou exigente e perfeccionista no trabalho, mas exacerbei isso ao máximo. No programa eu não perdoava erros. Um erro de português eu não deixava passar. Imagina se eu fosse esse tirano no dia a dia? Na ‘Fazenda’ o público vai poder me conhecer como eu sou de verdade, na minha casa, com os meus amigos, mais tranquilo e muito menos sisudo do que naquele programa em que eu era obrigado a olhar de cima para baixo, a ser até um pouco arrogante”, afirma.

Embora tenha pela frente o semelhante desafio de comandar mais um reality, com eliminações também semanais, ele explica que o formato de  “A Fazenda” exige uma forma de apresentar do que estava acostumado. “No outro reality, eu tinha o poder de decisão sobre quem iria eliminar. Agora, o poder está nas mãos do público. Não vai haver esse embate porque não é a pegada”, compara.

"Não preciso parecer um vaqueiro", diz Justus sobre figurino de "A Fazenda" Reprodução/Instagram/robertoljustus Não sou tão urbano assim. Já tirei leite de vaca, o que é difícil e é horrível tomar. Dá uma dor de barriga danada! Também ando a cavalo, mas não sou muito fã Roberto Justus, sobre estar acostumado à vida rural

"Não preciso parecer um vaqueiro", diz Justus sobre figurino de "A Fazenda" O figurino mais casual terá importância fundamental na informalidade que Justus pretende aderir em “A Fazenda”. O que não quer dizer, ele mesmo ressalta, que o público o verá como um caipira caricato. Haverá um cuidado para que seu estilo seja respeitado, mesmo que os novos looks impliquem em aposentar os trajes executivos.

“Ainda não falei com a figurinista, mas óbvio que vou ter que usar um jeans, um sapatênis, uma camisa pra fora da calça e uma jaquetinha, mas não tenho a necessidade de parecer um vaqueiro apresentando o programa. E também não vou usar um mocassim de couro alemão ou italiano no meio da lama”, diz.

Dono de uma propriedade rural próximo da sede da Fazenda em Itu (SP), o empresário diz que a vida no campo não é uma novidade. “Tenho essa fazenda há 26 anos, estou acostumado a colocar o pé na grama todo fim de semana. Não sou tão urbano assim. Já tirei leite de vaca, o que é difícil e é horrível tomar. Dá uma dor de barriga danada! Também ando a cavalo, mas não sou muito fã”, conta.

Fábio Guinalz/Fotoarena/Folhapress/Divulgação

"Não preciso parecer um vaqueiro", diz Justus sobre figurino de "A Fazenda"

Roberto Justus assumiu o “Topa ou Não Topa” no lugar de Silvio Santos em 2010. Agora, terá como missão herdar “A Fazenda” de Britto Jr.

"Não preciso parecer um vaqueiro", diz Justus sobre figurino de "A Fazenda"

Pressão para substituir Britto Jr.
A troca entre apresentadores de um mesmo programa não é algo inédito para Justus, que já esteve dos dois lados: o de substituir e ser substituído. Em 2009, passou o bastão do seu “Aprendiz” para o empresário João Doria e, no SBT, entrou no lugar do patrão Silvio Santos no game show “Topa ou Não Topa”. As experiências, ele garante, dão segurança para herdar o lugar de Britto Jr.

“Estou assistindo à última temporada da ‘Fazenda’ a pedido do diretor Rodrigo Carelli e estou adorando ele [Britto]. É um excelente apresentador. Ele saiu por problemas com a emissora e não porque tenha dado errado [como apresentador]”, defendeu. Para ele, o importante é imprimir um estilo próprio sem medo de descaracterizar a atração que irá comandar: “Eu vou ser diferente [do Britto] porque eu sou diferente. A minha forma de conduzir e falar com os participantes vai ser diferente, e não porque eu seja melhor – pode ser que eu seja até pior”.

“É como quando eu cheguei no ‘Topa ou Não Topa’ que o Silvio Santos tinha feito, então imagina a responsabilidade. Eu fiz do meu jeito e eu achei que ficou legal. Obviamente que o Silvio Santos é um ícone e a emissora é dele, então a pressão era um pouco maior [do que entrar no substituir o Britto Jr.]. Em ‘A Fazenda’, não consigo prever como vou apresentar, pois tudo na vida acontece na hora. Quero sentir como vai ser e, se funcionar, ficarei muito feliz”, afirma.

As comparações com Britto são tudo o que ele não quer ouvir: “Acredito que seja bom esse rejuvenescimento, no sentido de caras novas podem fazer bem para o programa. Só não quero saber de comparações – nem para o bem e nem para o mal. Não quero que digam que sou pior ou melhor. Eu sou eu e ele é ele”.

Você também vai curtir