Modelo que teve 60% do corpo queimado disputa título de mais sexy do Brasil

Jenii Fer Beck chama atenção com seus 1,70 de altura, 63 quilos e curvas perfeitas, mas nem sempre foi assim. Escolhida para disputar o título de Garota Mais Sexy do Brasil, da "Revista Sexy", a carioca de 23 anos passou sua infância e adolescência toda ganhando apelidos pejorativos como “múmia” e “churrasquinho”. Jenii teve 60% de seu corpo queimado em um acidente doméstico quando tinha cinco anos e exibe cicatrizes até hoje.

por

modeloJenii Fer Beck chama atenção com seus 1,70 de altura, 63 quilos e curvas perfeitas, mas nem sempre foi assim. Escolhida para disputar o título de Garota Mais Sexy do Brasil, da “Revista Sexy”, a carioca de 23 anos passou sua infância e adolescência toda ganhando apelidos pejorativos como “múmia” e “churrasquinho”. Jenii teve 60% de seu corpo queimado em um acidente doméstico quando tinha cinco anos e exibe cicatrizes até hoje.

“Meu irmão foi queimar um formigueiro que tinha em casa, ele achou que o fogo tinha apagado e foi jogar mais álcool, mas a garrafa explodiu e pegou em mim”, relembra. “Tive queimaduras de primeiro, segundo e terceiro grau no rosto, braços, coxas e mãos, fiquei um ano e meio fazendo o tratamento, raspagem, chegava a urinar de dor”.

Além da dor física, Jenii passou pelo trauma psicológico por conta de bulliyng sofrido na escola. “Saía do tratamento toda enfaixada dos pés a cabeça, era chamada de ‘múmia’. Criança não tem muita noção, elas são cruéis. Quando já estava boa o apelido mudou, aí me perguntavam como era a sensação de ter virado ‘churrasquinho'”.

Com várias marcas e cicatrizes, a modelo conta que não tinha vontade de se expor, mas a mãe praticamente a obrigou a fazer cursos que mexiam totalmente com o corpo e beleza na tentativa de ajudar em sua recuperação.

Modelo que teve 60% do corpo queimado disputa título de mais sexy do Brasil “Ela queria que eu fizesse curso de teatro, de foto, de modelo. Eu sempre fui, mas meio obrigada, tinha 13 anos na época, mas depois fui gostando e me apaixonei. Era horrível olhar no espelho e me ver toda queimada, confesso que tinha muito medo de me transformar em um monstro para a sociedade, sabe? “, contou emocionada. “Tinha cinco anos, mas lembro de tudo como se fosse hoje, me lembro do cheiro do remédio que eles passavam depois da raspagem.”

Com o passar do tempo, a modelo cresceu e passou a aceitar algumas marcas em seu corpo, já outras ela preferiu cobrir com tatuagens. “Cobri a maior marca com uma tatuagem na perna e uma mancha grande nas costas, as pessoas perguntavam se não tomava banho, falavam que eu estava encardida, mesmo já adulta, era constrangedor”, relembra.

A partir de setembro, Jenii vai disputar o título de Garota Mais Sexy do Brasil. A votação é online e o resultado está previsto para sair em fevereiro do ano que vem, quando a ganhadora será capa da publicação. “Ficaram algumas marcas mais escuras, mas para mim é uma vitória trabalhar com o corpo e com beleza. Hoje meu segundo nome é ‘precaução’ com qualquer coisa que possa causar um acidente doméstico. Falo para todo mundo que essas marcas são para não esquecer o que eu passei.”

Você também vai curtir