Há 50 anos os Beatles lançavam “Help!”. Relembre os clássicos do álbum

por

The Beatles

Há exatamente 50 anos as lojas da Inglaterra recebiam em suas prateleiras “Help!”. O quinto álbum dos Beatles (que os americanos só foram ouvi-lo, em uma versão radicalmente alterada, uma semana mais tarde), é certamente um dos mais divertidos lançados pelo quarteto.

A trilha sonora do segundo filme da banda é tida como uma obra de transição, o disco que marca o fim da fase “dos terninhos” que logo daria lugar às experimentações de estúdio de “Rubber Soul” (lançado, incrivelmente, apenas quatro meses depois deste álbum).

The Beatles

“Help!” serve para mostrar como os Beatles estão em uma categoria à parte na história do rock. Basta dizer que este trabalho não costuma receber os elogios efusivos reservados a vários outros discos deles e, ainda assim temos aqui: uma das músicas definitivas de John Lennon (a faixa título), outra de Paul McCartney (“Yesterday”), mais dois clássicos incontestáveis (“You’ve Got to Hide Your Love Away” e “Ticket To Ride”) e a primeira grande composição de George Harrison (“I Need You”).

Ou seja, esse é o tipo de material que poderia garantir a lenda – e a sobrevivência – de praticamente qualquer outra banda da história do rock. mas, no caso deles, esse disco era só mais um passo em uma carreira que se mostrou relativamente curta – o grupo chegaria ao final apenas cinco anos depois – mas inigualável.

Relembre três momentos inesquecíveis do álbum

Help!
A faixa de abertura do álbum, se tornou um clássico incontestável da música moderna. Composta por Lennon (mas assinada em parceira com McCartney), a música mostra claramente como eles amadureciam como músicos e compositores – a letra, com o autor dando os primeiros sinais do preço que a fama estava lhe cobrando – é igualmente forte. Essa versão foi gravada ao vivo para um programa da BBC em agosto de 1965.


Ticket To Ride
Outra obra prima composta majoritariamente por Lennon, essa faixa fechava o lado A do álbum original – o que trazia as músicas do filme e também se tornou um grande hit e clássico incontestável. Aqui vale a pena destacar a batida de Ringo Starr – uma das grandes provas de como ele era extremamente criativo – e o inesquecível riff tocado por Harrison com uma guitarra de 12 cordas. Ou seja, esta é uma daquelas faixas em que os quatro Beatles estão de fato unidos e dando o seu melhor.


Yesterday

Paul McCartney

Curiosamente, essa música começou relegada quase ao final do lado B do álbum e não foi lançada como single na Inglaterra. Existem duas razões para isso: o fato deles não gostarem de lançar faixas de seus álbuns em compacto e o detalhe dela tecnicamente não ser uma música dos Beatles, mas sim uma música solo de McCartney, que é o único integrante da banda presente na gravação.

Na verdade o próprio Macca ficou meio em dúvida com a música – radicalmente diferente de tudo o que a banda havia feito até então.

A história de que ele sonhou com a melodia e passou um bom tempo tocando-a para seus amigos para ver se alguém a reconhecia se tornou famosa, assim como a sua relutância sobre gravar com um quarteto de cordas, como o produtor George Martin lhe sugeriu.

O maior medo do músico era o de que os violinos fossem deixar a canção, na falta de expressão melhor, simplesmente brega. Martin garantiu que isso não aconteceria e que ele escreveria um arranjo sutil e de bom gosto para acompanhá-lo. E foi isso mesmo o que ele fez. Tornando a música em um enorme sucesso e em uma das canções mais regravadas de todos os tempos.

Ouça os clássicos dos Beatles aqui no Popzone!

Você também vai curtir