“Ultraman X” atualiza monstros de borracha das séries de TV japonesas

ReproduçãoPôster de "Ultraman X", nova série da franquia Ultra, lançada neste mês no Japão

por
  • Reprodução

    "Ultraman X" atualiza monstros de borracha das séries de TV japonesas

    Pôster de “Ultraman X”, nova série da franquia Ultra, lançada neste mês no Japão

Conhecido do público brasileiro que acompanhava as séries de TV “Ultraman” e “Ultraseven” nos anos 70 e 80, o super-herói gigante Ultraman está voltando a agitar os fãs às vésperas de comemorar o cinquentenário de sua criação. A mais recente realização da franquia é “Ultraman X”, que teve sua estreia no último dia 14 de julho, tanto no Japão quanto no Brasil – por meio do serviço de streaming Crunchyroll, especializado em tokusatsu (os filmes e seriados com efeitos especiais), animês e novelas japonesas.

A saga de Ultraman X – chamado assim por causa do marcador luminoso em seu peito – se passa em um universo aparentemente sem ligação cronológica com produções anteriores. Nesse mundo, existem os Spark Dolls, que na verdade são monstros e alienígenas transformados em bonecos, que foram lançados na Terra por uma entidade desconhecida.

A história começa 15 anos no passado, quando um fenômeno chamado de “superlampejos do Sol” irradiou a Terra, afetando Spark Dolls espalhados pelo globo, fazendo vários desses objetos reverterem à forma original. Os primeiros monstros a surgir são antigas ameaças das séries Ultra clássicas mas, como tudo acontece em uma dimensão em que a humanidade não conhecia monstros gigantes e nem super-heróis, as criaturas começam a espalhar caos e medo na população despreparada.

Para combater os monstros, tratados como desastres naturais comparáveis a terremotos e vulcões, é montado no Japão o esquadrão XiO (leia “Zio”) – ou Xenon invasion Outcutters, uma unidade de combate especial.

É nesse cenário que surge o Gigante de Luz Ultraman X, que se funde com o humano Daichi Oozora, um oficial do XiO. Daichi (interpretado pelo ator Kensuke Takahashi) perdeu seus pais ainda criança, num desastre causado pelos lampejos solares. Além do visual mais elaborado, esse Ultra se diferencia dos antigos por utilizar um novo tipo de arma nos combates. Ele usa diferentes armaduras que simulam os poderes de monstros.

Em sua maioria, as referências de “Ultraman X” são para os monstros das primeiras séries “Ultra”, o que atrai o público mais velho e “hardcore”, mas não é uma série focada em nostalgia e nem é preciso ter visto os personagens antigos. A direção é dinâmica e a produção tem uma boa estrutura para esse tipo de seriado. Os monstros ainda parecem feitos de borracha, mas a pirotecnia, computação gráfica e as cenas de ação compensam, além da boa direção. Todo o charme desse tipo de produção está presente, com uma roupagem moderna.

Divulgação

"Ultraman X" atualiza monstros de borracha das séries de TV japonesas

Em cena de “Ultraman X”, o herói enfrenta Telesdon; nova série estreou no Japão e Brasil

"Ultraman X" atualiza monstros de borracha das séries de TV japonesas

“Ultraman X” é transmitido pelo portal Crunchyroll toda terça, às 7h30 da manhã, somente para assinantes, apenas uma hora depois do final do episódio no Japão. Como o fuso horário japonês está 12 horas à frente do Brasil, isso explica o fato da série passar no Brasil nas terças de manhã, e no Japão nas terças no fim da tarde. Os não-assinantes do site ainda têm que esperar uma semana para que o episódio seja liberado, como já acontece normalmente. É o primeiro seriado do gênero a passar simultaneamente no Japão e no Brasil, o que prova a sua força por aqui.

Universo “Ultra” no Brasil

O universo “Ultra” engloba numerosos personagens, vistos principalmente em seriados live-action para TV, mas também em filmes para cinema, mangás, animês, games e uma infinidade de produtos. As primeiras produções foram idealizadas por Eiji Tsuburaya, o lendário diretor de efeitos especiais do “Godzilla” original (de 1954). De tão reverenciado, até ganhou um doodle (homenagem animada na página inicial do buscador Google) no último dia 7 de julho, data de seu 114º aniversário.

Da chamada Família Ultra, o público brasileiro acompanhou pela TV o “Ultraman” original (de 1966), “Ultraseven” (67) e o segundo “Ultraman” (“Ultraman Jack”, da série “O Regresso de Ultraman”, de 71), principalmente ao longo dos anos 1970 e começo dos 80. Em 2000, estreou por aqui o “Ultraman Tiga” (de 1996), que infelizmente não emplacou, apesar de ser um dos grandes clássicos do estúdio Tsuburaya Pro.

Atualmente, bons longa-metragens modernos da franquia estão disponíveis em DVD e Blu-ray no Brasil, com alguns títulos exibidos no canal pago HBO. No Crunchyroll, o acervo com legendas em português inclui séries “Ultra” de diferentes épocas, como “Ultraman Leo” (1974), “Ultraman 80” (1980), “Ultraman Max” (2005) e “Ultraman Mebius” (2006), todas ainda inéditas na TV brasileira.

E não é só com seriados de TV e filmes que a franquia está voltando a ganhar relevância no Brasil. Durante o evento Fest Comix, no final de semana passado, a editora JBC anunciou o lançamento do aclamado mangá “ULTRAMAN”. Trata-se de uma HQ ainda em produção no Japão (com seis volumes já lançados), que conta as aventuras do filho de Hayata, o hospedeiro do Ultraman original, em um contexto totalmente novo.

No último dia 17, o personagem completou 49 anos de sua estreia oficial na TV japonesa e diversas produções em diferentes mídias estão em andamento. Tudo indica que o cinquentenário do herói vai fazer bastante barulho na Terra do Sol Nascente.

Você também vai curtir