TOPO

“Não pretendo ficar feio para deixar de ser galã”, diz Thiago Lacerda

por Redação / Publicado em quarta-feira, 10 jun 2015 19:25 PM / / 425 views
"Não pretendo ficar feio para deixar de ser galã", diz Thiago Lacerda
Thiago Lacerda posa em frente a sua foto na festa de lançamento do programa do Canal Viva “Grandes Atores”

Thiago Lacerda, 37 anos, garante que não se preocupa com o rótulo de galã, que ganhou deste que começou na TV, em 1997. O ator diz que nunca se dispôs a lutar contra isso.

“Não preciso desmitificar esse rótulo. As pessoas associam também muito ao fato da beleza, não sei até que ponto o rótulo significa isso, ou se isso faz parte dele. Não pretendo ficar feio para deixar de ser galã. Também não penso em ser mais bonito para ser mais galã. Não afeta o meu comportamento diante do meu trabalho”, resume ele em entrevista ao “Grandes Atores”, que vai ao ar no canal Viva neste sábado (13) às 18h30.

Nos seus 18 anos de carreira, o protagonista Matteo, de “Terra Nostra” (1999), de Benedito Ruy Barbosa, que fazia par com Giuliana (Ana Paula Arósio) foi um dos maiores destaques.

“Lembro que estava gravando ‘Pecado Capital’ (1998) quando chegou um boato de que a Globo ia fazer a novela do século”, recorda.

O ator contou que procurou pela produção da novela e se candidou ao elenco. Ao fazer o teste, teve a certeza de que estava dentro do projeto: “A reação do Jayme Monjardim foi de ‘achei alguém!’. Ele estava procurando há algum tempo.”. Quando o diretor questionou se o ator falava italiano, Thiago não titubeou: “Não, mas aprendo que é uma maravilha!”, conta, rindo.

Divulgação

"Não pretendo ficar feio para deixar de ser galã", diz Thiago Lacerda

Thiago Lacerda e Ana Paula Arósio em “Terra Nostra”, que foi exibida na Globo em 1999

Na entrevista, o ator narra com orgulho a experiência naminissérie “Hilda Furacão” (1998) e as lembranças da época em que pode conviver com o veterano Mario Lago, que fazia parte do elenco.

“Pegava carona na van para voltar conversando com ele. Tive a chance de trabalhar com figuras inesquecíveis que me ensinaram muito sem saber. Como não tive escola, um processo acadêmico, descobri que meu único caminho, minha salvação, era observar esses caras. Chegava horas antes do meu horário no estúdio”, conta.

Thiago Lacerda disse ainda que entrou para a carreira artística por acaso, ao optar po um curso de interpretação para aprender a perder a timidez e ter possibilidade de virar gerente de banco.

Reservado em sua vida pessoal, ele acha fundamental separar família e trabalho. “Nunca permiti que eles entrassem completamente na intimidade da minha carreira. Trago eles, mas tem um limite que eu não permito. Nem que eu queira, acho que nunca aprendi a deixar. Sempre participaram, mas nunca trouxe para dentro das grandes questões e decisões. O destino da minha carreira pertence a mim. Sempre direcionei as minhas coisas de um modo quase que solitário. E acho que blindei um pouquinho minha profissão em relação à família., explicou.

|

Comentários no Facebook