Justiça decide e Rafinha Bastos terá que pagar R$ 150 mil a Wanessa Camargo

Thiago Duran/AgNewsRafinha Bastos entrou com recursos para diminuir o valor da indenização O apresentador Rafinha Bastos bem que tentou reduzir o valor  da indenização de R$ 150 mil por danos morais a Wanessa  Camargo e sua família,, mas o Superior Tribunal de Justiça (STJ) manteve  decisão da justiça de São Paulo de nesta terça-feira (23). 

por
  • Thiago Duran/AgNews

    Justiça decide e Rafinha Bastos terá que pagar R$ 150 mil a Wanessa Camargo

    Rafinha Bastos entrou com recursos para diminuir o valor da indenização

O apresentador Rafinha Bastos bem que tentou reduzir o valor  da indenização de R$ 150 mil por danos morais a Wanessa  Camargo e sua família,, mas o Superior Tribunal de Justiça (STJ) manteve  decisão da justiça de São Paulo de nesta terça-feira (23).

Em 2011, Rafinha apresentava o programa humorístico CQC da TV Bandeirantes, quando após uma matéria com Wanessa Camargo, ele comentou que “comeria Wanessa e o bebê”. Na época, a cantora estava grávida do seu primeiro filho com o empresário Marcos Buaiz. O casal se sentiu ofendido e entrou como uma ação no Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP).
Rafinha perdeu no primeiro julgamento e decidiu entrar com  dois recursos. O primeiro com relação aos danos morais sofridos pela criança, já que na época da declaração, ela ainda não tinha nascido, e o segundo alegando que a condenação representava um abuso ao direito de expressão, já que o comentário seria uma piada
Rafinha teve dois votos contra e um a favor.  Para o ministro Marco Buzzi, relator do caso, o comentário de Rafinha Bastos ofendeu a dignidade da cantora. Já o presidente da quarta turma, o ministro Raul Araújo, se opôs à decisão do relator e defendeu que a quantia fosse reduzida pela metade. Só que a ministra Maria Isabel Gallotti manteve o voto em favor da valor  estabelecido para a indenização:
Rafinha Bastos terá de pagar R$50 mil a Wanessa, o marido dela, Marcus Buaiz e ao filho do casal, José Marcus.
O humorista ainda pode recorrer da decisão no STJ.

Você também vai curtir