TOPO

Atrás das câmeras, atores ajudam astros das novelas a decorar seus textos

por Redação / Publicado em quinta-feira, 11 jun 2015 16:56 PM / / 635 views
  • Reprodução/Facebook/Narjara Turetta

    Atrás das câmeras, atores ajudam astros das novelas a decorar seus textos

    Narjara Turetta e Gloria Pires nos bastidores das gravações de “Babilônia”

Com grandes papéis, vêm grandes responsabilidades. E uma delas é decorar páginas e mais páginas de texto em pouco tempo, no caso de um protagonista de novela, que chega a gravar 20 cenas por dia. Para auxiliar nesse processo, mesmo atrizes tarimbadas como Gloria Pires e Camila Pitanga contam com a ajuda de colegas de profissão nos bastidores: os coaches, também chamados de preparadores de cena, acompanham os intérpretes nos horários mais variados para garantir que o texto esteja sempre na ponta da língua, da melhor forma possível.

Na fase mais puxada de “Babilônia”, que passou por uma grande reformulação e teve capítulos editados para dar agilidade às tramas, Gloria Pires teve a ajuda de Narjara Turetta para dar conta de tanto trabalho como Beatriz. “Somos amigas de longa data. Ela faz com pé nas costas, mas é muito texto para uma pessoa só. É sempre bom contar com um colega que tem experiência. E o clima nos bastidores era muito gostoso, mesmo nessa fase mais corrida”, conta Narjara, que permaneceu na função por cerca de três semanas.

Mas trabalhar nos bastidores não é novidade para a atriz, que já trabalhou com o cantor Xande de Pilares no início da carreira, à frente do grupo Revelação. Mas de 2002 para cá, a relação deixou de ser só profissional, e hoje os dois são bastante próximos. “Dei aula pra ele porque ele era muito tímido, não sabia como responder a certas perguntas. Ele estava despontando, ainda não sabia como se comportar. Foi bem bacana, firmamos uma amizade”, lembra ela.

Anos mais tarde, a dupla voltou a trabalhar junta, na preparação para o filme “Made in China”, em que o cantor estreava como ator. “Amei, fiquei toda orgulhosa. Ele leva jeito. E como ele tinha uma agenda muito corrida, às vezes tirava uma dúvida até pelo WhatsApp”, diz.

Reprodução/Facebook/Rodrigo Mikelino

Atrás das câmeras, atores ajudam astros das novelas a decorar seus textos

O ator Rodrigo Mikelino trabalha como coach

Também em “Babilônia”, Camila Pitanga conta com o ator Rodrigo Mikelino para estar sempre com os textos de Regina em dia. O trabalho da dupla acontece no Projac ou na casa da atriz, dependendo do planejamento das gravações. “Acompanho toda a rotina dela, inclusive em externas. Minha vida é pautada em cima da vida dela, não tenho fim de semana. Se ela recebe roteiro antes, até consigo programar”, conta.

Acostumado a fazer um trabalho parecido no teatro, ele está se adaptando à função em sua primeira novela. “No teatro, tem um trabalho mais corporal. Na TV, focamos mais na intenção da fala, de que maneira esse texto pode soar melhor para ser crível. E a Camila já é preparada, tem um bom tempo de carreira. É disciplinadíssima, extremamente estudiosa, muito perspicaz”, afirma o ator e bailarino, de 30 anos.

“Ela é o que aparece na TV, essa pessoa simpática, extremamente amiga. Sempre pergunta como estou, mas não só por perguntar”, diz Rodrigo, que já atuou em “Vidas Opostas”, na Record, mas diz que se desencantou um pouco com o universo da televisão. No entanto, ele não descarta voltar a trabalhar como coach em outras novelas. “É superlegal, continuo trabalhando como ator, e essa troca é que é o mais genial”, opina.

Outros atores experientes como Claudia Raia, por exemplo, também recorrem aos coaches: a atriz, que viveu a paranormal Samantha em “Alto Astral”, conta com a parceria de Rosana Garcia desde “A Favorita”, em 2008. A remuneração varia de acordo com a demanda de trabalho: se cobrado por hora, costuma girar entre R$ 300 e R$ 500, se cobrado por mês, fica entre R$ 2 mil a R$ 4 mil.

Reprodução/Instagram/linnjardim

Atrás das câmeras, atores ajudam astros das novelas a decorar seus textos

Linn Jardim posa com Betty Faria, com quem trabalhou nos bastidores da peça “A Atriz”

No teatro, também há espaço para esses profissionais. Linn Jardim, 29, estreou na função para dar suporte a Betty Faria na peça “A Atriz”: a veterana teve apenas 20 dias para ensaiar o espetáculo, já que substituía Marília Pêra no papel principal. O processo foi bastante intenso e atípico, já que um espetáculo geralmente é ensaiado por dois ou três meses antes de entrar em cartaz.
“Fiquei supernervosa! Caramba, era a Betty Faria. Mas a gente não está ensinando nada, está ajudando no que ela precisar. Existia a possibilidade de ela usar um ponto eletrônico, mas desde o início ela disse que não queria, encarou o desafio. Ia à casa dela quase todos os dias, até nos fins de semana”, conta Linn, que passava em média dez horas por dia ao lado da intérprete.
As duas iam estabelecendo metas pouco a pouco, mas o desempenho de Betty surpreendeu a preparadora. “Foi inacreditável, ela tem uma memória absurda. Aprendi muito com ela, até na forma de atuar. E ela é muito rigorosa. Às vezes, ela esquecia uma coisa ou outra, e eu dizia que estava ótimo, tentando não parecer que estava puxando saco. Mas ela dizia que não estava. Fiquei impressionada com a dedicação dela. Fiquei muito feliz por poder ajudar”, declara.
Linn também já atuava informalmente como coach do namorado, o ator Guilherme Prates, que já atuou em novelas como “Malhação” e “O Rebu”. “Nunca dirigi, mas ter esse olhar de fora é muito legal. É horrível decorar cena sozinho. Sempre bato texto com ele, é bom que dá a chance de experimentar mais”, avalia.
Outros atores como Cauã Reymond, Nathalia Dill, Paolla Oliveira, Grazi Massafera e Marco Pigossi recorrem aos serviços de preparadores de elenco como Andrea Cavalcanti. Contratada da Globo, ela faz alguns trabalhos mais personalizados, se solicitada, mas sempre com a liberação do diretor da novela. O acompanhamento pode durar a obra toda ou ser mais específico, bem no início da criação dos personagens.
“O que eu faço normalmente é trabalhar com o ator desde a concepção, estudar todas as cenas, traçar paralelos das características do papel com a personalidade dele, assistir a filmes. Mas a gente nunca fecha nada, quem bate o martelo é o diretor. Tem que deixar em aberto pra exercitar essa criatividade. Mas geralmente eles já vêm com o texto decorado”, explica.
|

Comentários no Facebook