William Bonner pede autorização e “rebatiza” moça do tempo de “Maju”

Mostrando a informalidade e descontração na nova fase do "Jornal Nacional", William Bonner encerrou a previsão do tempo na edição desta terça-feira (13) fazendo uma pergunta inusitada a Maria Júlia, a moça do tempo do principal telejornal da Globo.

por

Untitled-1

Mostrando a informalidade e descontração na nova fase do “Jornal Nacional”, William Bonner encerrou a previsão do tempo na edição desta terça-feira (13) fazendo uma pergunta inusitada a Maria Júlia, a moça do tempo do principal telejornal da Globo.

“Só para terminar, o que você prefere: [ser chamada de] Maria Júlia ou Maju, como você se intitula nas redes sociais e o teu público, os seus fãs, ficam pedindo para nós?”, “Eu prefiro Maju”, respondeu ela sorridente. “Renata [Vasconcellos], então a partir de hoje, Maria Júlia passa a ser Maju”, decretou o titular do “JN”.

Maria Júlia iniciou a sua carreira no Jornalismo da Globo como repórter de telejornais locais, em São Paulo. Se tornou “moça do tempo” no “SPTV”, “Bom Dia São Paulo” e no “Hora 1”. É considerada uma das mais simpáticas repórteres, como uma legião de fãs nas redes sociais. Ela ficou conhecida na redação e nos jornalistas com esse apelido, “Maju”.

Na semana passada, Maria Júlia chegou a corrigir o termo utilizado pelo chefe Bonner [o correto seria “tempo firme” e não “tempo bom”] durante a previsão do tempo no “Jornal Nacional”. Em análise feita pelo colunista do Popzone Flávio Ricco, até agora, pelo menos a sua classe, elegância e segurança têm chamado atenção não só da Redação da Globo, mas também dos telespectadores.

Ela deu características novas, impôs personalidade, à previsão do tempo do “JN” ao citar as capitais como “Beagá”, “Floripa” e chamar as chuvas fracas como “chuvica”.

Você também vai curtir