TOPO

Brandon Flowers, Faith No More e Hot Chip estão nos “Lançamentos da Semana”!

por Marta Lima / Publicado em sábado, 23 maio 2015 12:00 PM / / 520 views


Brandon FlowersThe Desired Effect

Brandon Flowers
The Desired Effect

Brandon Flowers disse que esse seu segundo álbum solo deveria ter sido na verdade o segundo álbum do The Killers, a banda em que ele é o vocalista principal. E a declaração realmente faz sentido.

The Desired Effect” tem muito daquele clima kitsch e exagerado de “Hot Fuss” – o álbum de estreia da banda – e suas referências ao pop da primeira metade dos anos 80. Ou seja, se você gostava deles e parou de acompanhá-los a partir de um certo momento, vale a pena dar uma escutada neste trabalho.

Já para os fãs de carteirinha, não há muito o que falar. Quem é fã de Flowers – e dos Killers certamente vai se divertir bastante com essas faixas produzidas exemplarmente por Ariel Rechtshaid (HAIM, Vampire Weekend).

Brandon Flowers

A lista de convidados também impressiona. Estão aqui, entre outros, Danielle Haim, Neil Tennant dos Pet Shop Boys, Tony Levin (o super baixista que tocou com Peter Gabriel e King Crimson), Bruce Hornsby e, de forma indireta, Jimmy Sommerville do Bronski Beat.

Isso porque “I Can Change” é construída em cima de “Small Town Boy“, o clássico do grupo que colocou a causa gay na pauta da música pop dos anos 80.

Elogiado pela crítica, “The Desired Effect” tem um clima retrô, mas está inserido em um contexto contemporâneo.

Ao mesmo tempo é divertido tentar pescar as referências que surgem aqui e acolá – “Diggin’ Up the Heart“, por exemplo lembra demais o som da Electric Light Orchestra do início dos anos 80. E por mais “uncool” que isso possa soar, ela é uma das músicas mais divertidas do álbum.

The Desired Effect” não tem medo de ser pop e bombástico, mas nem por isso se trata de um trabalho menor. Longe disso, ele é um dos melhores álbuns já feitos pelo cantor, seja em carreira solo ou ao lado de sua banda.

Ouça “I Can Change” com Brandon Flowers presente no álbum “The Desired Effect


Faith No MoreSol Invictus

Faith No More
Sol Invictus

Apesar de terem voltado a fazer shows em 2009, só agora o Faith No More resolveu lançar um álbum de inéditas, o que faz dele o primeiro disco do grupo em 18 anos.

Felizmente, o trabalho não decepciona – algo não muito comum em casos desse tipo. “Sol Invictus” certamente irá agradar os fãs do lado mais experimental e estranho da banda.

Estão aqui as faixas com andamentos estranhos e climas variados que dão espaço para o vocalista Mike Patton fazer uso de todos os seus dotes.

Faith No More

Assim, não esperem coisas como “Epic” ou “Falling To Pieces“, as faixas que fez da banda um improvável sucesso no Brasil no início da década de 90. Por outro lado “Sol Invictus“, não é um álbum feito para meia dúzia de fãs, ou para os ouvintes mais dedicados.

Ele foge do óbvio, mas tem momentos mais imediatos, faixas, mais ou menos, assobiáveis e não causa maiores estranhezas nos ouvidos um pouco mais acostumados a sonoridades experimentais.

O bom mesmo é ver que o grupo criou um trabalho digno e enxuto – 10 faixas em menos de 40 minutos – repleto de bons momentos e que faz prever um ótimo futuro para eles agora não só nos palcos.

Ouça “Superhero” com o Faith No More presente no álbum “Sol Invictus


Hot ChipWhy Make Sense?

Hot Chip
Why Make Sense?

Em seus mais de carreira, o Hot Chip não mudou muito. O septeto britânico segue fazendo música pop com instrumentação eletrônica que funciona tanto em pistas de música alternativa quanto em casa ou no tocador de MP3.

Ou seja, eles são daquelas bandas que não causam nenhuma revolução, mas que mantém um padrão de qualidade em todos seus lançamentos. Isso garante o apreço dos críticos e uma base razoável de fãs e admiradores casuais.

Pode parecer pouco, mas não é. Afinal quantos artistas surgidos na última década lançaram seis discos não apenas bons, mas que geram interesse? Quem conhece a banda então já sabe o que esperar deste álbum: uma série de canções com bases dançantes e ganchos pop mas com um inegável clima melancólico – alguém aí pensou no New Order? Se você não os conhece, pode começar por este bom “Why Make Sense?“. Se curtir vale ir atrás dos outros discos deles, todos com excelentes momentos.

Ouça “Huarache Lights” com o Hot Chip presente no álbum “Why Make Sense?

|

Comentários no Facebook