Atriz diz que sofreu bullying em escola e foi ameaçada com faca e estilete

A atriz da Globo Fernanda Vasconcellos revelou na manhã desta quinta-feira (28) que sofreu bullying e foi ameaçada com faca e estilete ainda na época de escola. "Eu comecei a trabalhar, inclusive, por causa do bullying. Tinha um menino mais velho na escola, que me olhava, e começou uma coisa que eu tinha que ir embora de viatura para casa, porque naquele época não tinha celular para ligar para o meu pai. Aí, a diretora tinha que ligar para a polícia", disse a atriz em depoimento ao programa "Encontro com Fátima Bernardes", da Globo.

por

A atriz da Globo Fernanda Vasconcellos revelou na manhã desta quinta-feira (28) que sofreu bullying e foi ameaçada com faca e estilete ainda na época de escola. “Eu comecei a trabalhar, inclusive, por causa do bullying. Tinha um menino mais velho na escola, que me olhava, e começou uma coisa que eu tinha que ir embora de viatura para casa, porque naquele época não tinha celular para ligar para o meu pai. Aí, a diretora tinha que ligar para a polícia”, disse a atriz em depoimento ao programa “Encontro com Fátima Bernardes”, da Globo.

“O menino não me fazia nada. Eram as meninas que gostavam dele. Elas pegavam pedaço de pau, faca e estilete. Era horrível. Muito pesado”, explicou Fernanda.

A atriz disse ainda que, por muito tempo, ficou com medo de incomodar, de chamar a atenção. “Tive medo durante muito tempo de falar, de chamar a atenção, e se tornar uma violência física [contra mim]”, contou. “Eu comecei a trabalhar, eu mudei de colégio e conheci novas pessoas”, completou Fernanda, ao explicar como superou o problema.

Segundo reportagem de Publico, parceiro do Popzone, um estudo publicado recentemente na revista britânica The Lancet Psychiatry mostrou que “perseguição na escola tem efeitos mais graves do que maus tratos na infância”. Dados de 106 países compilados pela UNICEF, em 2013, dão conta de que um em três adolescentes, entre os 13 e os 15 anos, são vítimas de bullying.

“Os maus tratos danificam o jovem e aumentam a propensão para que seja vitimizado na relação com os seus pares. Aí, sim, faz sentido que o efeito seja exponencial e que esta experiência tenha mais consequências na saúde mental de jovens adultos do que os maus tratos na infância”, disse um dos pesquisadores ao site.

Você também vai curtir