TOPO

Atriz decadente em filme, Susana Vieira desaprova câmeras na vida real

por Redação / Publicado em quinta-feira, 07 maio 2015 13:48 PM / / 768 views

sorria

Umas das grandes estrelas da Globo, onde se prepara para estrear “A Regra do Jogo”, próxima trama das nove, Susana Vieira vive o outro lado da carreira na comédia “Sorria, Você Está Sendo Filmado”, que estreia nesta quinta-feira (7). No filme de Daniel Filho, ela dá vida a Vera, uma atriz que fez novelas da emissora carioca, mas está fora da telinha. Mulher do síndico Valdir (Otávio Augusto), ela é uma das pessoas que se envolve nas situações absurdas que se desenrolam no apartamento de um morador que se matou.

Descrita por vários personagens do filme como “amiga da Regina Duarte em ‘Rainha da Sucata'”, Susana acredita que Vera é uma mulher frustrada por não conseguir ter uma carreira. “A verdade é que eu acho que ela nunca foi uma atriz que foi esquecida e largou a TV Globo. Ela diz que é amiga de Regina Duarte, como várias pessoas que fazem figuração em filmes e novelas com a gente fazem. Ou seja, ela é uma pessoa frustrada, porque nunca conseguiu fazer uma novela inteira, ela não é contratada. Então, eu tomei como se fosse isso, ela fez alguma figuração, ela nunca foi uma atriz e ela nunca foi demitida. O que foi engraçado mesmo foi brincar de mulher de síndico de prédio, isso sim, e num prédio em Copacabana. Mas não que eu me reconheça no personagem”.

Para a atriz, que tem 72 anos e 60 na atuação, “deve ser muito triste” parar de trabalhar depois de ter uma carreira. Mas ela incentiva aqueles que deixam o mundo artístico após poucos trabalhos. “O que tenho para falar para uma pessoa que fez um ou dois trabalhos, abandonou e depois quis voltar, mas fica achando que não tem mais campo, é: O mundo gira, a lusitana roda, e a Sapucaí é enorme”.

Filmado sem cortes, e de um único ângulo, “Sorria” traz como diferencial o fato de os personagens estarem sendo filmados sem saber, pela webcam do morto. Nesse clima, os atores também acabaram esquecendo que estavam em frente às câmeras. “A gente não tinha ideia que estava sendo filmado, mesmo porque tinha aquele computador na nossa frente, mas nós tínhamos uma disciplina de marcação. O Daniel fez com que nós esquecêssemos que estávamos fazendo um filme, porque nós fizemos a sequencia toda como se estivéssemos fazendo uma cena de teatro”.

Na vida real, porém, Susana não é uma entusiasta das câmeras  – e acredita que notar a presença delas faz mudar o comportamento de quem é filmado, assim como acontece no longa. “Quando estou em um lugar e descubro uma câmera, fico louca, acho uma invasão de privacidade. Outro dia eu estava no auge de uma ostra e a ostra voou, e quando olhei para cima, tinha uma câmera. Ou seja, o dono de um restaurante chiquérrimo, que devia estar em Paris, com essa câmera ligada, deve ter visto que Susana Vieira não sabe comer ostra, porque a ostra voou. Eu acho que realmente você se comporta diferente, principalmente nós, que vivemos nossa vida inteira entre a vida real e a ficção, e detesto situação quando tenho que mudar. Eu não tenho que mudar”.

Questionada se já deixou de fazer algo por saber que poderia ser filmada ou fotografada, a atriz contou que o que acontece é o contrário: “Talvez eu até faça alguma coisa porque sei que estou sendo filmada ou fotografada. Se eu chego a um lugar, jamais eu chegaria sorrindo e descendo e dando oi pra todo mundo, como a gente faz quando vai a alguma festa que tem milhões de paparazzi. Eu costumo descer normalmente e não sensualmente”.

|